Projeto Colcha de Retalhos Jane Austen

Projeto Colcha de Retalhos 01

Ao longo de 2017, como parte das celebrações do museu, pelo Bicentenário do Legado de Jane Austen, houve uma grande atividade entre as bordadeiras locais e do resto do mundo, trabalhando para produzir uma colcha coletiva da comunidade austeniana. A colcha foi financiada através de uma bolsa da Heritage Lottery e inspirada no trabalho de patchwork, criado por Jane, sua mãe e irmã, exibido no Museu, após sua recente restauração. Cada retalho da colcha foi individualmente projetado e criado por representantes de mais de quarenta grupos [sobre Jane Austen], em todo o mundo, incluindo grupos na América do Norte, Austrália, Paquistão e Brasil, bem como na vila de Chawton. Cada retalho explorará um tema diferente de Jane Austen, que quando combinados, formarão um patchwork de histórias, narrando a vida, o trabalho e o legado da escritora; e à medida que o Outono se aproxima, também se aproxima o momento em que estes retalhos – tão significativos, retornarão para Chawton.

No início da Primavera, a Casa Museu Jane Austen recrutou a designer de colchas, com residência em Brighton, Elizabeth Betts, como nossa designer da colcha, supervisionando a produção final dos sessenta retalhos da colcha, criados individualmente.

Ao longo dos próximos meses, Liz e eu [Lucy Bailey] estaremos atualizando, semanalmente, sobre o progresso do projeto da colcha, que ainda inclui: oficinas de patchwork, bibliotecas locais, centros de mesa, palestras e muito mais!

Lucy Bailey, Supervisora do Projeto

Projeto Colcha de Retalhos 05

Quando você descobriu seu interesse em Jane Austen?
Meu interesse em Austen se desenvolveu na adolescência, quando, de repente, os garotos já não eram mais um incômodo, mas potenciais interesses amorosos. Meu melhor amigo e eu costumávamos assistir as adaptações de Austen obsessivamente. Minha amiga Saskia e eu também passamos um fim de semana em Bath, no Baile da Regência, onde fizemos nossos próprios vestidos, e a parte mais emocionante do evento, foi ver os oficiais, andando por Bath e correndo atrás deles como Lydia e Kitty. Como posso me explicar – nós tínhamos dezenove anos!

O que você mais gosta sobre o trabalho na Casa Museu Jane Austen?
Eu gosto de estar no campo. No fundo, eu sou uma garota do interior e gosto de sair, pela porta do escritório, e encontrar ar fresco e verde.

Em sua opinião, qual é o aspecto mais emocionante do projeto da colcha?
A parte mais emocionante do projeto, para mim, é a mistura de grupos. Adoro o fato de que participam do projeto, não apenas especialistas em Austen, mas crianças da escola, bordadeiras profissionais, pessoas que nunca bordaram antes e grupos ao redor do mundo.

Elizabeth Betts, Designer da Colcha

Projeto Colcha de Retalhos 06

Quando você descobriu seu interesse em Jane Austen?
Oh, eu gostaria de poder dizer algo inteligente, mas tudo começou com a adaptação da BBC, em 1995, de Orgulho & Preconceito. Eu tinha terminado o 2º grau e adorava ler, no entanto, eu não estava interessada em ler os textos para as provas, então eu lia, principalmente, novelas da década de 1950. Eu caí de cabeça e me apaixonei pelas histórias, os personagens, os cenários – simplesmente tudo. Lizzie foi o modelo perfeito para uma adolescente: atenciosa, inteligente e direta e, mesmo agora, se eu sair para uma longa caminhada, gosto de pensar que caminhar fará com que meus olhos pareçam mais brilhantes! Depois disso, consumi tudo o que ela escreveu e, ainda hoje, tenho meus clássicos da editora Pinguin em casa. Eles estão meio desgastados, mas nunca os abandonarei. No entanto, como designer de estampas, estou de olho em uma bela coleção da Penguin Clothbound Classics.

O que você mais gosta sobre o trabalho na Casa Museu Jane Austen?
A Casa nos passa um sentimento encantador e, toda vez que eu a visito, me sinto privilegiada por estar lá. Eu amo sua história e ela realmente ganha vida, quando você conhece a conexão que um lugar tem com um tempo e uma pessoa específicos. Como designer e mulher, a combinação da escrita de Jane Austen, com sua vida doméstica, o que se esperava dela e o comportamento das mulheres na época, nunca deixa de me inspirar.

Em sua opinião, qual é o aspecto mais emocionante do projeto da colcha?
Foi satisfatório fazer a transição do projeto, de um conceito a algo que agora tem um plano, para que seja levado adiante. A escala do projeto e o nível de entusiasmo de todos os envolvidos fazem com que eu mal possa esperar para ver a colcha acabada.

Participação do Brasil no Projeto

Projeto Colcha de Retalhos 07

Como a presidente da JASBRA, Adriana Zardini, já havia informado anteriormente, pelo Instagram, o Brasil está participando do Projeto Colcha de Retalhos Jane Austen. A própria Adriana, mostrando seus dotes também com a agulha, trabalhou no retalho, que será enviado para Chawton e que comporá a colcha, do projeto.

Nós, da JASBRA, estamos muito orgulhosos de poder enviar um pedacinho de nosso trabalho, eu escolhi as cores da bandeira do Brasil, para homenagear a Jane Austen, e faz parte de um projeto, chamado Jane Austen Quilt, que a Chawton House está comandando”, revelou Adriana, em 25 de setembro.

Confiram mais sobre o retalho brasileiro, que fará parte do projeto oficial da Casa Museu Jane Austen no Instagram da JASBRA!

Tradução e Texto: Pollyana Coura
Fonte: jane-austens-house-museum

Anúncios

Visitando a casa de Jane Austen – por Rachel Dodge

Fonte: Visiting Jane Austen’s Home: Celebrating 200 Years in Hampshire, Rachel Dodge

Chawton Cottage, Jane Austen’s house sign. Image @ Rachel Dodge

A Vic Sanborn acaba de publicar um post sobre a visita que Rachel Dodge fez aos condados de Hampshire e Chawton! Fotos de encher os olhos!

Jane Austen: o romance e o realismo social

Pense em uma professora gracinha! Pronto, está é a Professora Kathryn Sutherland – que foi minha professora no Curso sobre Jane Austen em Oxford!

Neste vídeo, Kathryn discute o romance o realismo social! O vídeo foi filmado no Jane Austen’s House Museum em Chawton.

Projeto que une povos: Jane Austen Quilt

Olá queridos leitores!

Ainda como parte das comemorações referentes ao bicentenário da morte de Austen, foi lançado um projeto internacional para construção de uma manta, inspirada na colcha de retalhos feita por Jane, sua mãe e sua irmã.

quilt_Austen

Durante todo este projeto especial, uma gama diversificada de grupos comunitários irão trabalhar na produção da colcha. Cada retalho da manta será concebido individualmente e criado por representantes de mais de quarenta grupos comunitários em todo o mundo, incluindo associações na América do Norte, Austrália e Brasil, bem como perto da casa (múseu) da romancista inglesa, na vila de Chawton Cottage, em Hampshire. Cada bloco vai explorar um tema diferente, que, quando combinados, formam um mosaico de histórias que narram a vida de Jane Austen.

Jane Austen Quilt

Vejam mais sobre este maravilhoso projeto no website:

Jane Austen Quilt

Jane Austen’s House Museum

JASBRA marcando presença em Chawton House Library

Em outubro passado tive o prazer de conhecer pessoalmente Mary Guyatt (Jane Austen´s House Museum) e Gillian Dow (Chawton House Library) para realizar a doação oficial dos primeiros livros em língua portuguesa que hoje fazem parte do acervo da Chawton House Library.

Em conversa por e-mail Gillian, descobri que não haviam ainda exemplares de edições em língua portuguesa na biblioteca da mansão que pertenceu ao irmão de Jane Austen. Sendo assim, como tradutora de alguns livros e presidente da JASBRA há 7 anos desde a fundação, decidi oferecer a coleção de seis livros e as duas edições especiais publicadas pela Editora Martin Claret.

Particularmente, estou muito feliz com essa doação porque Gillian me disse que faz pesquisas sobre traduções de Jane Austen em outras línguas e que não havia um exemplar sequer em língua portuguesa. Então, agora estamos representados pelas tradução do Roberto Leal, Alda Porto e minha (Adriana Sales Zardini)

15666272_10154106696328344_1184837533_n
Momento da entrega dos livros em português para Gillian Dow (Chawton House Library)
edicoes-brasileiras-em-chawton
Divulgação feita pela Chawton House Library na página no Facebook, agradecendo a doação feita pela JASBRA.

Sorteio aniversário de Jane Austen – quem ganha o presente é você!

Olá queridos leitores! O aniversário de Jane está chegando (238 anos ela faria no próximo dia 16) e decidi oferecer um Kit exclusivo para os leitores do Jane Austen Brasil!

Para participar do sorteio basta responder à pergunta acima e deixar seu nome completo. Vocês poderão participar até 16:00 do dia 16 – que é o aniversário de Jane. Mas atenção, só serão consideradas as mensagens que atenderem aos requisitos acima, combinado?

Posteriormente publicarei as mensagens como uma espécie de cartão de aniversário para Jane! 🙂

Veja o que contêm no Kit Exclusivo da JASBRA:

 Kit do sorteio:
– 1 Bolsa do Bicentenário de Orgulho e Preconceito (exclusividade da JASBRA)
– 1 bloquinho post it da Jane Austen’s Regency World
– 1 Guia de visitação de Chawton House, direto da casa onde Jane morou
-1 cartão postal da Catedral de Winchester, onde Jane está sepultada
– 1 marcador de livros comemorativo de 200 anos de Razão e Sensibilidade, presente do pessoal de Chawton
– 1 marcador de livros comemorativo dos 200 anos de Orgulho e Preconceito, exclusividade JASBRA
– 2 chaveiros comemorativos dos  200 anos de Orgulho e Preconceito, exclusividade JASBRA
– 2 broches comemorativos dos  200 anos de Orgulho e Preconceito, exclusividade JASBRA 

Jane Austen pelo mundo!

Mais um post da nossa Coluna dos sábados: O mundo de Jane Austen! Por indicação da leitora Thaís, eu acabei descobrindo que a Globo News apresentou o programa Pelo Mundo sobre Jane Austen! Dessa vez mostraram a casa onde Jane Austen morou nos últimos anos de vida em Chawton. Vejam que maravilha! Para assistir ao vídeo, clique aqui.

Jane Austen continua influente após 200 anos

O Jornal Correio Popular de Campinas publicou ontem (17 de março) um artigo sobre o Bicentenário de Orgulho e Preconceito! O Jornalista Fábio Trindade me ligou na última quinta e conversamos por alguns minutos sobre Jane Austen. 

Em destaque um trecho da minha entrevista

O que encanta a professora nos livros de Austen é que, a cada leitura, ela consegue observar novos detalhes, o que gera, automaticamente, novas analogias. “Os sobrenomes dos personagens são extremamente simbólicos, cada um com um significado. Não tenho como entrar na cabeça dela para saber o que realmente ela quis passar, mas sinto que ela foi deixando dicas para a gente compreender a sua obra.” Adriana cita o sobrenome Mansfield, do livro ‘Mansfield Park’. “Vendo um programa sobre a escravidão na Inglaterra, descubro que um Lord Mansfield foi um dos pioneiros em julgar casos de libertação dos escravos, dando a causa a favor deles. E isso foi na época que ela viveu e escreveu as obras.” A professora é tão fã que decidiu visitar a casa onde Jane Austen viveu seus últimos anos na Inglaterra, no vilarejo de Chawton. “É o que toda fã sempre sonhou.”

Das imagens que enviei para o jornal, eles escolherem a foto que tirei no ano passado em frente à casa onde Jane Austen morou no vilarejo de Chawton – Alton, Inglaterra.

Visita a Chawton House – Janeiro de 2012 (by Adriana Zardini)

Para ler o artigo completo, que conta com outras entrevistas, clique abaixo ou aqui.

O dia que conheci Ann Channon

Hoje cedo eu publiquei um post com uma foto da Ann Channon no jardim da Chawton Cottage, hoje Jane Austen’s Museum House. Acabei me lembrando que não escrevi e nem divulguei nenhum tipo de imagem sobre a minha viagem À Inglaterra, em janeiro deste ano. Promete escrever alguns posts assim que eu sair de férias do trabalho, ok?
Ao visitar a casa onde Jane morou, fui muito bem recebido por todos os funcionários e a senhora Ann Channon interrompeu suas atividades e veio me receber na lojinha do museu. Fui recebida com muito carinho e até assinei um livro de visitas VIP. Quanto honra, não é mesmo? Na verdade eu é que tive a honra de visitar um lugar tão especial e ter sido tão bem recebida por todos!
Abaixo, a nossa foto (que ficará para a posteridade) em pleno inverno!

Adorei o passeio e me emocionei muito ao conhecer e percorrer a casa onde Jane Austen morou em seus últimos anos de vida. Espero poder voltar lá logo, pois uma visita só não é o suficiente.

Ann Channon no jardim do Museu Jane Austen

Julie Wakefield me avisou por email que a querida Ann Channon – responsável pelo gerenciamento do Jane Austen’s Museum House – posou para uma foto no jardim da casa onde Jane Austen morou.

Fico tentando imaginar o quão belo deve estar este jardim em pleno verão inglês!

Julie também publicou uma entrevista com Ann, clique aqui para ler.
Clique aqui para ler a entrevista em língua portuguesa, traduzido pela ferramenta do google.