Para sempre Jane Austen – palestra em Belo Horizonte

Prezados leitores,

a palestra ‘Para sempre Jane Austen’ foi remarcada para o dia 3 de julho às 15:00 no auditório da Biblioteca Pública de Minas Gerais, Praça da Liberdade, 21. O evento é gratuito e aberto a todas as idades!

Quem desejar visitar a exposição, ela se encontra no segundo andar da biblioteca! Imperdível!

para sempre Austen julho

Anúncios

Jane Austen: o romance e o realismo social

Pense em uma professora gracinha! Pronto, está é a Professora Kathryn Sutherland – que foi minha professora no Curso sobre Jane Austen em Oxford!

Neste vídeo, Kathryn discute o romance o realismo social! O vídeo foi filmado no Jane Austen’s House Museum em Chawton.

Apresentação de abertura do VI Encontro Nacional da JASBRA

Prezados,

Quem fará a abertura do VI Encontro Nacional da Jane Austen Sociedade do Brasil será a Prof. Dra. Magda Velloso. Vejam o perfil de Magda, abaixo:

magda.png

Orgulho e Preconceito: a filosofia na obra de Jane Austen

Para os leitores que são de João Pessoa e arredores! Palestra sobre Jane Austen na Nova Acrópole da capital paraibana! Para quem não pode estar lá, vale à pena assistir ao vídeo sobre no post que publiquei aqui no blog em 2015: Jane Austen também é filosofia.

nova.png

Palestra
Orgulho e preconceito: a filosofia na obra de Jane Austen
28/01, sábado às 19h30 | Entrada: 1kg de alimento
PRÉ-INSCRIÇÃO: http://goo.gl/iMoKQw

A Filosofia busca modelos ideais, arquétipos humanos, para nortear o homem em sua busca de perfeição. Neste sentido, JANE AUSTEN nos presenteia com excelentes exemplos, e pode ser mais uma fonte de inspiração aos buscadores do melhor de si mesmos.
Mais informações:
> 3023 – 3377
> 98211-0246 (WhatsApp)
Nova Acrópole João Pessoa – Av.Monteiro da Franca, 936 – Manaíra ( próximo aos correios e a escola de inglês Wise Up)

Jane Austen – conservadora ou liberal?

Olha que menina faceira essa Jane Austen!! Será que a autora se enquandra no perfil de conservadora ou liberal?? Palestra dia 20 de março às 15:00 na Biblioteca Pública da praça da liberdade (entrada pela rua da Bahia). A minha palestra faz parte do mês das mulheres. Endereço: Praça da Liberdade, 21, 2o andar. 




Minha palestra abordará a temática feminista na obra de Jane Austen. Aguardo todos os belo horizontinos lá! Todos os  interessados deverão enviar um e-mail para referencia.sub@cultura.mg.gov.br e receberão certificados de participação!

Palestras do IV Encontro Nacional da JASBRA

Clique aqui para fazer sua inscrição.

Local do evento: Memorial Minas Gerais Vale 
Praça da Liberdade s/n – Belo Horizonte

Dúvidas, favor enviar um email para adriana@jasbra.com.br

Clique aqui para fazer sua inscrição.

‘A Dead Silence’: Reading Jane Austen’s Mansfield Park

Descobri hoje cedo dois podcasts com o professor Richard De Ritter (University of Leeds) que faz uma análise interessantíssima a respeito de Mansfield Park!

Para fazer o download da parte 1 e parte 2 é necessário uma requisição no próprio site.

Um projeto da theenglishfaculty.org patrocinado por:

Part 1

http://www.theenglishfaculty.org/plugins/content/jw_allvideos/includes/js/mediaplayer/player.swf 

Part 2
Na segunda parte de sua palestra Richard De Ritter faz uma análise a respeito da discussão realizada por Edward Said a respeito da escravidão presente na narrativa de Austen.
http://www.theenglishfaculty.org/plugins/content/jw_allvideos/includes/js/mediaplayer/player.swf

Entrevista para o site Na Savassi

O Bruno Fonseca, do site Na Savassi (região aqui de Belo Horizonte) me entrevistou ontem por telefone e publicou hoje no site!

Tradutora de Jane Austen realiza palestra na Praça da Liberdade nesta sexta

Autora de obras mundialmente famosas como Orgulho e Preconceito, que ganhou ainda mais popularidade com o filme de Joe Wrigh,t de 2005, Jane Austen é tema de palestra nesta sexta (23), na Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, na Praça da Liberdade.
O naSavassi conversou com a presidente da Jane Austen Sociedade do Brasil, Adriana Sales Zardini, que irá realizar a palestra. A professora de inglês e também tradutora de obras de Jane Austen conta qual a relação da escritora inglesa com a realidade das mulheres da época e porque seus livros permanecem tão atuais.
Interessado? As inscrições para a palestra, que acontece às 15h, podem ser feitas pelo telefone (31) 3269-1232 ou no e-mail referencia.sub@cultura.mg.gov.br.
O tema da palestra é a questão social da mulher com base nas obras de Jane Austen. Que questão social é essa? O que os livros trazem da realidade das mulheres?
Se você acompanhar a situação das personagens nas obras da Jane Austen você percebe retratos da época e da realidade das mulheres naquela sociedade. Quando ela escreveu, a palavra feminismo sequer existia, mas ela pode ser considerada uma das primeiras feministas a partir do momento que dá visibilidade à situação da mulher, ainda que não seja rebelde, ela simplesmente vê o cotidiano e construir os personagens.
Retrato de Jane Austen em aquarela feito pela irmã, 
Cassandra Austen, em 1810.
Ela também sofreu com a situação das mulheres na época?
Claro, ela sofreu com o preconceito e teve de publicar seus dois primeiros livros com assinatura By a lady (por uma mulher). Jane era filha de um pastor que, apesar da família não ser rica, considerava vergonhoso uma mulher trabalhar. Só depois que ela alcançou  popularidade passou a publicar com o próprio nome. Para você ter uma ideia, mesmo com o sucesso que alcançou durante a vida, na base da sua lápide está escrito “filha do reverendo”. Só depois de muitos anos que incluíram uma dedicatória em ouro.
Por que ela alcançou esse sucesso se havia outras mulheres escritoras? O que Jane Austen tem de especial?
Ela rompe com o estilo de literatura que mantinha a figura do personagem “herói faz-tudo”. A Jane desconstrói essa figura e cria personagens às vezes orgulhosos e antipáticos ou então desinteressantes, um anti-herói. Você se pergunta: “poxa, esse é o personagem principal?” Além disso, ela pega de três a quatro famílias do interior da Inglaterra e monta todo o mote da história com esses personagens. Mas o mais especial, na minha opinião, é que ela fala de coisas que viveu, que presenciou.
Museu de Jane Austen em Chawton, na Inglaterra, na casa onde a escritora passou
 seus últimos anos de vida.
Por que as mulheres e também os homens ainda se interessam pelas obras de Jane Austen? O que permanece atual?
Independentemente da sociedade – brasileira, inglesa, francesa – e da época, as pessoas têm características que a gente reconhece no dia-a-dia. Quem nunca teve uma tia fofoqueira ou uma pessoa da família que quer casar os filhos com bons partidos?
Qual livro você recomenda como primeira leitura para quem nunca leu Jane Austen? E depois?
Primeiro o Orgulho e Preconceito, por causa da popularidade, fácil acesso e também pelas versões em filme e na série de TV de 1995 que eu considero insubstituível. Depois Emma, que é uma história divertida, vivaz. Em seguida, Abadia de Northanger, com uma personagem adolescente. Persuasão seria o quarto e depois Mansfield Park e Razão e Sensibilidade por último, pois são livros mais pesados de uma Jane Austen mais séria.
Qual o seu preferido?
O que mais gosto é Persuasão, pois é um livro sobre espera. A personagem se apaixona muito jovem, mas é induzida a não se casar porque é um rapaz pobre. É uma espera muito longa até quando eles se reencontra e o que me chama atenção são as sutilezas na narrativa e a preciosidade da carta que o personagem principal escreve.
Imagem do filme Orgulho e Preconceito, de 2005, 
com Keira Knightley no papel da protagonista.
Jane Austen é uma literatura difícil?
Não é difícil, mas ajuda muito ter uma edição com boas notas de rodapé porque ajudam a contextualizar com os valores da sociedade da época. Por exemplo, o tipo de carruagem, quantas rodas tinha, já diz do nível financeiro do personagem.
Você traduziu livros da Jane Austen. Quais?
Traduzi Mansfield Park e Razão e Sensibilidade fiel, pela editora Landmark e está em processo de revisão para ser lançado até maio o Emma, pela Martin Claret.
Como funciona a Jane Austen Sociedade do Brasil? Como participar?
A sociedade tem regionais em vários estados: Rio Grande do Sul, Pernambuco, Paraíba, Rio de Janeiro, São Paulo, Distrito Federal, Amazonas, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Em Minas, são cerca de 10 a 15 membros, nos encontramos a cada dois meses em média, geralmente na Savassi. As pessoas têm de 15 a 70 anos. Em janeiro de 2013 iremos receber em Minas um encontro nacional comemorando os 200 anos de lançamento de Orgulho e Preconceito. Temos um e-mail adriana@jasbra.com.br e o site http://www.janeaustenbrasil.com.br/.

Orgulho e Preconceito na época de Jane Austen

Convido a todos os interessados que estejam na cidade de Belo Horizonte para uma palestra sobre as mulheres na época de Jane Austen. Eu decidi colocar o título como Orgulho e Preconceito, fazendo uma alusão ao título do livro mais famoso de Austen como ponto de partida para a discussão. Sejam todos bem vindos!

O Setor de Referência e Estudos da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, tem a satisfação de convidá-lo(a) para a Palestra “Orgulho e preconceito na época de Jane Austin”, dia 23/03/2012 às 15h, na sala de cursos do prédio Anexo Prof. Francisco Iglésias – Rua da Bahia, 1889 – Funcionários, conforme convite anexo.
Palestrante convidada: Profª Adriana sales Zardini.
Contamos com sua presença e solicitamos que divulguem para seus amigos
Inscrição gratuita pelo telefone: (31)3269-1232 e/ou referencia.sub@cultura.mg.gov.br

Exposição e Palestra sobre Jane Austen

convido à todos que estejam em Belo Horizonte amanhã 21/06 para comparecerem à Biblioteca Pública de Minas Gerais, situada à Praça da Liberdade (prédio novo) para uma palestra sobre Jane Austen. Em seguida, eu farei a abertura de uma exposição sobre a autora, com meu acervo pessoal. A exposição vai até meados de julho/2011 e faz parte das comemorações das JASBRA em homenagem aos 200 anos de Razão e Sensibilidade!