Fotos do terceiro dia do VI Encontro Nacional da JASBRA

Prezados leitores,

segue abaixo o vídeo com as fotos do último dia do VI Encontro Nacional da Jane Austen Sociedade do Brasil, em 04 de Junho de 2017.

371

Fotos do segundo dia do VI Encontro Nacional da JASBRA

Prezados leitores,

segue abaixo o vídeo com as fotos do segundo dia do VI Encontro Nacional da Jane Austen Sociedade do Brasil, em 03 de Junho de 2017.

022.JPG

Canal Jane Austen Brasil no Youtube

Agora temos um canal no Youtube: Jane Austen Brasil! Quem ainda não conhecia, clique aqui e faça sua inscrição!

Canal jasbra no youtube

Vídeo de Encerramento do VI Encontro Nacional da JASBRA

Prezados leitores,

aos poucos vamos publicar os detalhes do VI Encontro Nacional da JASBRA, principalmente, para aqueles que não puderam ir! Aproveito também para lançar o Canal Jane Austen Brasil no Youtube.

O vídeo abaixo é do encerramento do evento, onde li um poema de Rudyard Kipling chamado “Jane’s Marriage”. Não se trata de uma tradução, e nem sequer tentei rimar as palavras. Na verdade, foi uma tradução expontânea! Aguardem até o final, pois tivemos a presença do Capitão Wentworth e Anne Elliot! Depois me contem o que acharam.

Austenite ou Janeite?

austenite ou janeite.png

Na semana passada, eu proferi a palestra de encerramento do VI Encontro Nacional da Jane Austen Sociedade do Brasil e tive a oportunidade de usar os dois termos para designar os fãs de Jane Austen. Entretanto, após uma conversa com outros membros da JASBRA, decidi escrever este post para esclarecimentos quanto aos dois termos.

O termo ‘Janeite‘ foi cunhado por  George Saintsbury, em 1894 em um prefácio de Orgulho e Preconceito. O termo se refere à um devoto admirador de Austen, suas obras e tudo o que está relacionado à sua vida e época em que a escritora viveu.

O termo ‘Austenite‘ cunhado em 1903, se refere também aos devotos fãs e aos estudiosos da vida e obras de Austen*, conforme afirma Gross (2008).

Para Hayes (2004), os termos ‘Janeite‘ e ‘Austenite‘ representam dois discursos distintos. Janeite “tende a ser informal, íntimo e pessoal em relação aos dramas sentimentais e sociais” escritos por Austen. Enquanto Austenite é “formal, intelectual e objetivo na explicação de suas narrativas irônicas, morais e sutis que constituem uma análise social e moral” das obras. Lynch (2000, p. 14) nos chama a atenção para o fato de que ‘Janeite‘ parece algo mais íntimo, uma situação onde escritora e fã possuem o mesmo nome próprio. Entretanto, o termo Janeite automaticamente destaca o gênero da escritora e implica que seus leitores são do mesmo sexo, ou seja, são todas mulheres. Além disso, um outro termo bastante usado em inglês, o ‘Janeiteism‘ parece ser usado para simplificar a questão de que os “romances de Austen propiciam espaços culturais onde nós possamos todas ser garotas juntas” (Lynch: 2000, p. 14). Sendo assim, para incluir leitores de ambos os sexos, acredito que a opção para a língua portuguesa aqui no Brasil seja o termo ‘Austeniano‘, visto que ambos homens e mulheres podem ser chamados por essa alcunha, ao contrário do termo ‘Janetes‘ que está mais relacionado à um grupo feminino, visto que não há variação masculina para o nome Jane, na minha concepção.

Aqui no Brasil, ainda não menção nos dicionários que consultei. Fiz um levantamento a respeito de pesquisas acadêmicas e descobri que em algumas monografias os autores utilizam o temo ‘AUSTENIANO‘. A mesma grafia também foi observada em publicações na Itália e Espanha. Na Espanha, Sánchez entitula os fãs de Austen como ‘los Austenitas‘ e discorre sobre a recepção de Austen na Espanha, assim como as adaptações para a televisão espanhola e publicações em jornais, revistas e traduções dos livros da autora.

Ainda a respeito dos termos relacionados aos leitores, fãs e estudiosos de Austen, Yaffe (2013) destaca: Jane Addiction, Austen Powers, Austenmania, Austenesque, entre outros.

 

Para citar este post:

SALES, A. D. Austenite ou Janeite? Jane Austen Brasil, 2017. Disponível em: https://janeaustenbrasil.com.br/2017/06/08/janeite-ou-austenite/.

* De acordo com o site Wiktionary

Referências:

HAYES, M. Trubetzkoy, Austen and the evolution of cutlure. In: BATTAGLIA, B.; SAGLIA, D. (Ed.) Re-drawing Austen: picturesque travels in Austenland. Napoli: Ligouri Editore, 2004.

GROSS, U. M. What Happens next: Jane Austen’s fans and their sequels to Pride and Prejudice. Thesis of Master of Arts in English.  Georgetown University. 2008. Disponível online: https://repository.library.georgetown.edu/bitstream/handle/10822/553009/grossUrsula.pdf. Acesso em: 07 de junho de 2017.

LYNCH, D. (Ed.) Janeites – Austen’s Disciples and Devotees. Princeton: Princeton University Press, 2000.

SÁNCHEZ, M. C. R. Historia de los Austenitas. Málaga: Kindle Edition. 2015.

YAFFE, D. Among the Janeites – a jorney through the world of Jane Austen Fandom. New York: Houghton Mifflin Harcourt Publishing Company, 2013.

Apresentação de abertura do VI Encontro Nacional da JASBRA

Prezados,

Quem fará a abertura do VI Encontro Nacional da Jane Austen Sociedade do Brasil será a Prof. Dra. Magda Velloso. Vejam o perfil de Magda, abaixo:

magda.png

Projeto que une povos: Jane Austen Quilt

Olá queridos leitores!

Ainda como parte das comemorações referentes ao bicentenário da morte de Austen, foi lançado um projeto internacional para construção de uma manta, inspirada na colcha de retalhos feita por Jane, sua mãe e sua irmã.

quilt_Austen

Durante todo este projeto especial, uma gama diversificada de grupos comunitários irão trabalhar na produção da colcha. Cada retalho da manta será concebido individualmente e criado por representantes de mais de quarenta grupos comunitários em todo o mundo, incluindo associações na América do Norte, Austrália e Brasil, bem como perto da casa (múseu) da romancista inglesa, na vila de Chawton Cottage, em Hampshire. Cada bloco vai explorar um tema diferente, que, quando combinados, formam um mosaico de histórias que narram a vida de Jane Austen.

Jane Austen Quilt

Vejam mais sobre este maravilhoso projeto no website:

Jane Austen Quilt

Jane Austen’s House Museum

Jane Austen como paródia de Willy Wonka

Lembra daquele garoto humilde encontrando o bilhete dourado no filme A Fantástica Fábrica de Chocolate? 

Pois alguns privilegiados moradores do Reino Unido terão a chance de viver uma experiência semelhante, caso recebam uma nota de 5 libras contendo o retrato microscópico de Jane Austen!

O responsável por esta proeza foi Graham Short, que não imaginava que a paródia de Willy Wonka poderia render cerca de R$200 mil a cada nota contendo a mini-arte estampada!

O artista teve a ideia de gravar um retrato de 5mm da autora de Orgulho & Preconceito na parte transparente da nova nota de 5 libras em homenagem ao 200º aniversário do falecimento da escritora, que está sendo celebrado neste ano.

Ele incluiu uma citação diferente em torno de cada arte, garantindo que elas sejam obras únicas.

Qualquer um que encontrar uma dessas notas deve entrar em contato com a galeria Tony Huggins-Haig, em Kelso, onde o projeto foi concebido. O dono da galeria disse à BBC que a notas podem valer dezenas de milhares de libras em um leilão.

Por que quatro notas novas de 5 libras em circulação valem R$ 200 mil cada

E para a alegria geral de Bath na Inglaterra, foi divulgada a notícia de que uma quinta nota com o microrretrato elaborado por Grahan Short será doado ao The Jane Austen Centre!

Short disse à Radio BBC de Bristol que apresentaria a nota ao The Jane Austen Centre como um presente emoldurado para marcar o 200º aniversário da morte da romancista. Ele vai voltar para Bath no dia 18 de julho com a nota que, conforme dito por ele, “será emoldurada com vidro nas costas e na frente para melhor visualização”.

A quinta nota, como as outras quatro, tem um pequeno retrato de Jane, juntamente com uma citação de um de seus romances famosos. A cédula que estará exposta no The Jane Austen Centre é do Capitão Wentworth em Persuasão, a saber: “Você trespassa a minha alma. Sou metade agonia, metade esperança.”

A Fifth Jane Austen Note Is Coming To The Centre!

 

Estereótipos literários: Austen como pioneira do chic lit?

Olá leitores!

Recordo que há alguns anos, uma amiga muito inocentemente me questionou: “Aqui, estes livros da Jane Austen que você gosta de ler, são no estilo daqueles romances de banca, certo? Tipo… Sabrina, Bárbara, Samantha?”

Confesso que naquele fatídico momento, me deu uma vontade louca de dar um murro na cara dela, mas como ela é uma amiga muito especial e devido ao carinho que dedico à nossa amizade, sorri de volta e respondi delicadamente (entre os dentes, é claro!) que ela estava redondamente enganada.

Em referência ainda, aos estereótipos literários que as pessoas insistem em conferir à obra de Austen, o blog Baiana da Baviera trouxe um artigo interessante, o qual recomendamos a leitura e reflexão. O título da referida publicação já é instigante:

Jane Austen: mãe do chic lit?

O conteúdo explora que, apesar das obras austenianas agradarem predominantemente o universo feminino – assim como a maior parte do estilo chic lit o faz -, ainda assim seus livros se destacam por abordar temas delicados àquela época, como a negligência aos direitos civis das mulheres, a falta de poder de escolha feminina quanto aos relacionamentos amorosos, choques nos encontros entre classes, escândalos familiares, entre outros tópicos relevantes que versam as tramas construídas por Austen.

Particularmente, creio que Austen não deve ser classificada num gênero chic lit. Longe de ser um preconceito ao estilo ou não observância da suposição de que ela pudesse desejar sua obra emergindo um alcance popular à época. Acima disso, me valho da plena convicção de que Austen sempre quis dizer muito mais em seus contextos imaginários do que insistem em reparar, a maior parte daqueles que adoram esteriotipar sua obra. Austen caprichava nos diálogos, lançava mão de uma linguagem clara e clássica e ironizava como nenhum outro escritor fora capaz de fazer até hoje.

Jane Austen é sim um cânone literário, ao passo que o chic lit volta sua ambição à prateleira comercializável e não à moldura clássica.

Sorry chic lit, mas em Austen, você é apenas uma referência e não um enquadramento.

Jane Sorridente

Marcelle Vieira Salles

Celebrando o legado de Jane Austen

Prezados leitores,

Desde o início do ano  já venho divulgando notícias sobre as homenagens aos 200 anos de morte de Jane Austen. Aqui na Jane Austen Brasil, não será diferente! Será um ano muito especial, com muitos eventos dedicados à nossa amada escritora. Aguardem as publicações com os convites de eventos! O que posso atencipar é que vem por ai o VI Encontro Nacional da JASBRA, Exposição Jane Austen, Palestra Jane Austen Vida e Obra, Piquenique Austen, entre outros! Fiquem atentos!

Para marcar nossas comemorações e publicações, vou utilizar algumas imagens comemorativas com o nosso slogan “Celebrando o Legado de Jane Austen”. E todos que desejarem, podem utilizá-lo! Utilizem as hashtags #LegadoAusten #JaneAustenBrasil #JaneAusten200 – Assim, será muito fácil vocês e outras pessoas encontrarem outras publicações relacionadas às comemorações.

selo-do-bicentenario-2017-000-Page-1.jpg