#janeaustenlives – Programação de Junho

Prezados leitores e companheiros de jornada! Nossas #janeaustenlives estão de volta! Vejam a programação no cartaz e organizem suas agendas! Lembrem-se: os encontros serão às terças sempre às 19:00 (horário de Brasília), na nossa página no Instagram @janeaustenbrasil E depois serão salvos no Youtube Jane Austen Sociedade do Brasil.

Nossas convidadas deste mês irão nos presentear com palestras sobre suas pesquisas mais recentes! Sejam todos bem-vindos!

Revista LiterAusten – chamada para publicação

A nona edição da Revista LiterAusten está com chamada aberta para artigos relacionados ao Universo Austen e aos estudos sobre escritoras inglesas! Qualquer temática que seja relacionada às escritoras e suas obras é bem vinda! 

Normas para Publicação

1. Número de páginas
Para apresentação do trabalho, que abarcará 15 minutos, sugerimos produzir um texto de, no máximo, 6 páginas. Para a publicação na revista, o tamanho máximo é de até 15 páginas (com referências).

2. Apresentação
Papel tamanho A4 (21 cm X 29,7 cm), com margens superior e esquerda de 3 cm e direita e inferior de 2 cm. A fonte deverá ser TIMES, tamanho 12, espaçamento 1,5, parágrafo justificado com recuo de 1,5 cm e entrelinha 1,5. O arquivo não pode ter marcas de formatação (estilo, tabulações) nem numeração de páginas. Para citações: fonte TIMES, tamanho 10, espaçamento SIMPLES entrelinhas.

3. Estrutura
Título do artigo: em maiúsculas e em negrito, centralizado no alto da primeira página, em espaçamento 1,5 entrelinhas, tamanho 14.
Nome do autor: por extenso, 1 linha abaixo do título, alinhado à direita, com mesmo tamanho e fonte do texto e com asterisco para a nota de rodapé onde deverá ser inserido o mini-currículo.
Mini-currículo: em nota de rodapé, puxada do sobrenome do autor, na qual constem titulação, instituição de origem, cidade e estado e o endereço eletrônico do autor.
Corpo do texto: duas linhas abaixo do nome do autor, entrelinhas 1,5, fonte tamanho 12, justificado, adentramento de 1,5. Subtítulos devem ser alinhados à margem esquerda.
Notas: devem ser colocadas ao pé da página e numeradas sequencialmente.

4. Citações
Devem seguir a NBR 10520 da ABNT (disponível aqui) no sistema AUTOR-DATA.

    Em citações textuais, o autor deve ser citado entre parênteses, exclusivamente pelo sobrenome, separado por vírgula da data de publicação: (SOUZA, 2006). As citações de obras de um mesmo autor, publicadas no mesmo ano, devem vir discriminadas por letras minúsculas após a data, sem espaço: (GIVÓN, 2002a, 2002b). Se o autor estiver citado no texto, apenas a data virá entre parênteses: Souza (2006) admite mais de uma forma…
Obras com até três autores, todos devem ter seus sobrenomes indicados, separados por ponto-e-vírgula (MARTELLOTA; FURTADO; MEDIANEIRA, 2003). Se houver mais de três, indica-se o primeiro sobrenome, seguido de et. al. (MATEUS et al., 1985).
Em citações diretas, a(s) página(s) deverá(ão) seguir a data, após a vírgula e a indicação “p.”: (SOUZA, 2006, p.102). Se o trecho corresponder a um intervalo de páginas, separa-se a inicial da final com hífen: (NEVES, 20006, p.102-110).
A citação direta, de até três linhas, deve estar inserida em um parágrafo comum do texto, entre aspas duplas. As aspas simples serão usadas para indicar citação no interior da citação.
A citação direta, com mais de três linhas, deve constituir parágrafo autônomo, justificado, sem aspas, destacado com recuo de 4 cm da margem esquerda, em fonte TIMES, normal (NÃO UTILIZA-SE ITÁLICO), tamanho 10, espaço simples. Destaques em citações devem ser feitos em itálico e, após o número de página da referência, deve-se usar a expressão [grifo nosso] entre colchetes.
As citações em línguas estrangeiras devem ser traduzidas no corpo do texto com remissão à nota de rodapé em que será transcrito o trecho original. Não há necessidade de indicar que a autoria da tradução é do(s) autor(es) do artigo.

5. Referências
Alinhadas à esquerda, SEM JUSTIFICAÇÃO, sem recuo de parágrafo. Deverão ser organizadas a partir dos sobrenomes dos autores (dispostos em ordem alfabética) e, no caso de um mesmo autor, na sequência cronológica de publicação dos trabalhos citados, duas linhas após o texto ou os agradecimentos. As referências a obras traduzidas devem trazer a indicação dos créditos de tradução. O destaque do título deve ser feito em NEGRITO. As referências devem seguir rigorosamente as normas da ABNT, NBR 6023 (disponível aqui).

E-mail para envio do artigo: janeaustensociedadedobrasil@gmail.com


ATENÇÃO:  
NOS RESERVAMOS O DIREITO DE NÃO PUBLICAR OS TEXTOS QUE NÃO SEGUIREM
AS NORMAS AQUI EXPLICITADAS. 

Live 52 – Orgulho e Preconceito e as traduções brasileiras

Nossa convidada para a próxima #janeaustenlives será dia 07 de agosto às 20:00 (horário de Brasília) é a Aline Benato Soares. Nossa conversa vai girar em torno da pesquisa que ela fez a respeito da traduções de Orgulho e Preconceito de Jane Austen.

Bio: Mestre em Letras (2020) pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR, campus Pato Branco, com ênfase em Literatura, Sociedade e Interartes. Desenvolve pesquisa na área de tradução literária e foi bolsista durante o mestrado da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Licenciada em Letras Português/Inglês (2016) pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná, campus de Pato Branco. Participou do Projeto de Pesquisa nos Estudos Descritivos da Tradução durante o período da graduação e do mestrado. Atua nas áreas de Língua Inglesa, Literatura Anglófona e Tradução Português/Inglês e Inglês/Português, tendo como principal interesse a área de Tradução Literária. Suas pesquisas abordam as literaturas em contato, por meio da tradução e análise literária, com interesse na literatura de autoria feminina, e em especial nos estudos das obras de Jane Austen. Trabalha como docente de língua inglesa, língua portuguesa, literatura e redação em escolas particulares do município de Pato Branco – Paraná. É apaixonada por Jane Austen e por suas obras, tendo como livro favorito Orgulho e Preconceito.

Patriotismo e Preconceito em Jane Austen

Mais um vídeo da Gresham College! Desta vez, a professora Janet Todd fala patriotismo e preconceito em Jane Austen.

A Ironia e os Caprichos Misteriosos da Narrativa de Jane Austen

Nesse vídeo da Gresham College, a professora Belinda Jack discute a ‘ironia e os caprichos misteriosos da narrativa’ de Jane Austen. Existe a opção de tradução automática para o português.

Jane Austen – uma mulher do século 18 para o século 21

Hoje temos o vídeo da professora Joanne Podis para o canal TEDx no Youtube! Uma análise muito interessante sobre a vida e obra de Jane Austen!

A sagacidade perversa de Jane Austen

Vejam esse vídeo do canal TED-Ed no Youtube! Um pequeno resumo sobre Jane Austen!

Programação de maio #janeaustenlives

Olá pessoal!

A programação das #janeaustenlives que estamos realizando no nosso perfil @janeaustenbrasil – no Instagram – está recheada de discussões interessantes! Lembrando que serão, nesse mês de maio, às segundas, quartas e sextas às 20:00 (horário de Brasília). Se perder alguma live, não se preocupe, todas estão salvas no nosso canal Jane Austen Sociedade do Brasil no Youtube.

“EM UMA ÉPOCA CHEIA DE REGRAS, ELAS SEGUIAM AS DELAS”: A MODERNIZAÇÃO DAS PERSONAGENS FEMININAS DE JANE AUSTEN NA TELENOVELA ORGULHO E PAIXÃO

A Diana de Melo Xavier foi a nossa convidada para a 1a live da #janeaustenlives! Foi uma maravilha passar um hora falando sobre Austen com ela! Gratidão, Diana! Eu aproveito o post para publicar o resumo da monografia de conclusão do Graduação em Letras, pela UFRJ, fruto da pesquisa de Diana. O arquivo completo, em pdf, pode ser acessado aqui.

Resumo: Jane Austen (1775-1817) é uma das principais escritoras da literatura inglesa e suas obras são bastante adaptadas para séries, filmes e outras mídias. E, em 2018, seis obras de Austen foram adaptadas para a telenovela do horário das seis Orgulho e Paixão da Rede Globo pela primeira vez no Brasil. Sendo a telenovela um gênero próprio, foram adaptadas as personagens e os enredos de Austen para que, assim, sua trama agradasse seus telespectadores do século XXI. Por isso, as personagens femininas da escritora apresentam uma nova e moderna representação para refletirem o público alvo da novela das seis. Desta maneira, o objetivo dessa monografia é analisar a adaptação das personagens Elisabeta Benedito (inspirada em Elizabeth Bennet de Orgulho e Preconceito) e Ema Cavalcante (inspirada em
Emma Woodhouse de Emma) para o gênero telenovela e a sociedade brasileira. Assim, será considerado a influência do público alvo do gênero e o entendimento de Jane Austen como um produto cultural para compreender a escolha de suas obras para se tornar uma telenovela brasileira, constatando, por fim, a modernização de ambas personagens e como Jane Austen se mantém contemporânea, apesar de tais mudanças.


Palavras-chave: Literatura Inglesa. Jane Austen. Telenovela. Modernização. Orgulho e Paixão. Orgulho e Preconceito. Emma.

Projeto #janeaustenlives

Atenção Austenites/Janeites desse Brasilzão! Vamos iniciar uma série de lives sobre #janeausten! Basta seguir #janeaustenlives e nossas redes sociais @janeaustenbrasil no Instagram, Twitter, YouTube e Facebook Jane Austen Society of Brazil #jasbra #janeaustenbrasil! No site, vamos publicar os cronograma: www.janeaustenbrasil.com.br#janeaustenbrasil