Sortei: Lady Susan e outras histórias

Vou sortear esse lançamento da @editoramartinclaret “Lady Susan e outras histórias”! Regras para participar:
➡️ seguir o perfil @janeaustenbrasil no Instagram

➡️ curtir essa publicação ➡️ marcar dois amigos no post do Instagram

➡️ seguir nosso canal no YouTube: Jane Austen Sociedade do Brasil

♥️ o resultado será divulgado no dia 16 de maio no Instagram
#janeaustenbrasil #janeausten #janeaustensociedadedobrasil #janeaustensocietyofbrazil #jasbra #janeaustenlives

Live 19 – Traduzindo a Juvenília de Jane Austen

Nossa próxima #janeaustenlives será na próxima segunda dia 11 de maio às 20:00 – sempre no nosso perfil @janeaustenbrasil no Instagram. Vamos falar sobre os escritos da juvenília de Jane Austen, com tradução da professora Lenita Pisetta (USP). Não percam!

Lady Susan e Outras Histórias

Acabei de receber a mais nova edição da @editoramartinclaret contendo tradução de obras da Juvelínia e obras inacabadas de #janeausten ! A boa notícia é que, em breve, teremos uma #janeaustenlives com a professora Lenita Pisetta (tradutora). Vejam nas fotos como edição está uma belezura! #janeaustenbrasil #janeaustensocietyofbrazil #janeaustensociedadedobrasil

Quinta edição da Revista Literausten

É com muita satisfação que terminamos o ano de 2019 com a publicação de mais uma edição da Revista Literausten! Desta vez, contamos com a colaboração dos alunos da disciplina “Jane Austen, Crítica Literária e Cultura Popular”, oferecida na Universidade de São Paulo – USP, Departamento de Letras Modernas, pela Dra Maria Clara Pivato Biajoli no primeiro semestre de 2019.

Segundo Maria Clara Biajoli, são apresentados “três artigos sobre Razão e Sensibilidade, um sobre Lady Susan, um sobre Emma e um sobre Amor e Amizade, os quais abordam temáticas diferentes mas que dialogam com o tema geral do curso e com a proposta de trazer um olhar crítico e questionador para a obra de Austen – e, no caso específico do artigo de Débora Spacini Nakanishi, sobre adaptações. São trabalhos acadêmicos de qualidade, apoiados em bibliografia especializada e que contribuem com o desenvolvimento da pesquisa sobre Austen no Brasil. As alunas – graduadas, mestrandas e doutorandas – estão de parabéns pelos resultados e merecem esse espaço de divulgação científica que a LiterAusten fica feliz de propor.

ADAPTANDO UM “HERÓI’ DE AUSTEN: TRÊS VERSÕES DE EDWARD FERRARS – Débora Spacini Nakanishi

A INSTITUIÇÃO FAMILIAR EM RAZÃO E SENSIBILIDADE – Beatriz Rodrigues Ramos

EMMA WOODHOUSE E A AUTORIDADE FEMININA EM CHEQUE – Gabriele Cristina Borges de Morais

Lições para uma vida – Milene de Almeida Silva

RAZÃO E SENSIBILIDADE: RESSIGNIFICAÇÕES LINGUÍSTICAS NA NARRATIVA Dayse Paulino de Ataide

“THE FEMALES OF THE FAMILY ARE UNITED AGAINST ME”: LADY SUSAN EM PRIMEIRAS IMPRESSÕES – Yuriko Bezerra Lima Yogi

Clássicos de Jane Austen na UFRN

O curso de Biblioteconomia do Centro de Ciências Sociais Aplicadas  (CCSA), da UFRN, executará o projeto de extensão Clube da Leitura para estudos e discussão sobre os clássicos de Jane Austen, a partir desta terça-feira (30), das 18h30 às 20h, na sala B2 do Setor de Aulas I, Campus Central da Universidade.

Aberto ao público, a participação no clube é gratuita, e as inscrições podem ser realizadas pelo SIGAA ou diretamente no local. A primeira reunião terá a presença da escritora Ana Claudia Trigueiro que falará sobre literatura inglesa. Em seguida será realizada uma roda de conversa sobre a experiência individual de cada leitor com as produções de Jane Austen com foco inicial na obra “Orgulho e Preconceito”.

Os encontros acontecerão todos os meses se estendendo até o dia 18 de novembro buscando se adaptar aos formatos e necessidades dos participantes, sendo flexível tanto em formato quando em datas, podendo ser adaptados às necessidades do grupo ao longo dos meses.

Confira abaixo o calendário completo dos encontros:
30 de Abril de 2019: Discussão sobre Orgulho e Preconceito;
29 de Maio de 2019: Discussão sobre Razão e Sensibilidade;
25 de Junho de 2019: Discussão sobre Mansfield Park;
27 de agosto de 2019: Discussão sobre Emma;
30 de setembro de 2019: Discussão sobre Northanger Abbey;
28 de outubro de 2019: Discussão sobre Persuasão;
18 de novembro de 2019: Discussão sobre Lady Susan.

Fonte: CCSA UFRN

Jane Austen em São Paulo – Eventos em Janeiro de 2018

O pessoal de São Paulo começou o ano animado e já estão divulgando dois eventos na capital.

No dia 27 de janeiro às 16:00, o clube de leitura #leiamulheres São Paulo promoverá a discussão do livro ‘Lady Susan’ de Jane Austen, com mediação de Juliana Leuenroth e Michelle Henriques. Local: Centro Cultural São Paulo.

leia

No dia 28 de janeiro às 15:00, a biblioteca Mário de Andrade fará um café literário para discussão do livro ‘Orgulho e Preconceito’ de Jane Austen. Local: Rua da Concolação, 94 – Centro – São Paulo.

mario

Lady Susan da Editora Grua

A editora Grua tem uma coleção chamada ‘A Arte da Novela’ e entre os títulos disponíveis está Lady Susan de Jane Austen!

Lady Susan capa site-240x360

Tradução de Bibiana Almeida

144 pgs

Viúva, Susan Vernon escreve para seu cunhado, aceitando uma espécie de auto-convite para passar uns tempos em sua casa, na cidade de Churchill. Sua concunhada escreve para a mãe, reclamando que terá de receber aquela mulher de reputação duvidosa. Sir Reginald Courcy escreve para o filho Reginald uma carta dura querendo afastá-lo de Susan Vernon, que o está seduzindo que sem que ele se dê conta.
A história se desenrola através de cartas trocadas entre os personagens, e a cada uma delas a bela e ardilosa Lady Susan vai se tornando mais irresistível. Ela destoa da tradicional heroína criada por Jane Austen e das protagonistas clássicas dos romances do século XIX. Ciente de sua beleza e carisma, seduz e manipula, comporta-se de forma egoísta, inclusive em relação à filha. Também não demonstra nenhum arrependimento ao se envolver com um homem casado, sem sofrer punição moral por isso.
A data mais aceita para esta novela epistolar é 1794, quando Jane Austen tinha apenas 19 anos. A impressionante maturidade na escrita já era um sinal da autora notável que seria.
Preço: R$21,90 

Pré-venda de Amor e Amizade de Jane Austen e Whit Stillman

Acabo de saber que já está em pré-venda um lançamento da Editora Gutenberg: Amor e Amizade! Entretanto, como está no selo da capa do livro, o texto é Lady Susan. A tradução é de Nilce Xavier.

susan

“Incrivelmente bela, surpreendentemente espirituosa e completamente devotada… aos próprios interesses: Conheça Lady Susan Vernon, a Alma e o Espinho de Amor & Amizade.
Viúva, falida e mãe de Frederica, uma adorável garota em idade para se casar, Lady Susan tem uma missão: encontrar um bom marido – ou seja, rico – para a filha e sobretudo para si. Dona de uma eloquência e de um charme sem iguais, Lady Susan flerta com qualquer homem endinheirado que possa salvá-la de sua desgraça financeira, o que lhe rende a fama de “rainha do flerte”. Mas quando suas tentativas de garantir o futuro não saem como o esperado, Lady Susan recorre à gentileza (e ao dinheiro) de seu cunhado, Charles, e vai passar uma temporada em sua propriedade rural para se afastar das fofocas. Lá, ela conhece Reginald, irmão da esposa de Charles, e único herdeiro da fortuna da família DeCourcy. Ao perceber que Frederica está se encantando pelo rapaz, Lady Susan decide que o jovem Reginald seria um belo e abastado marido… para si mesma.”

 

Compre na Livraria Cultura, Amazon (amazon estava com um desconto de R$ 4,00 no momento que escrevi o post).

Páginas: 288 • Formato: 16 x 23 cm • Acabamento: brochura • Título original: Love and friendship • ISBN: 9788582354063 • Código: 12818 • Área temática: Adulto, Ficção • Editora Gutenberg • Edição: 1 • Data de publicação: 30/10/2016

Edição maravilhosa em pré-venda

Para quem adora novos lançamentos, aqui vai uma dica que encontrei na Livraria Saraiva:

novo

Sete romances de Jane Austen: Sense and Sensibility, Pride and Prejudice, Mansfield Park, Emma, Persuasion, Northanger Abbey, Lady Susan. Em uma edição única da Collectible Classics por R$100,00.

Veja detalhes abaixo:

PESO 0.44 Kg
PRÉ-VENDA Sim
MARCA Collectible Classics
I.S.B.N. 9781435158139
REFERÊNCIA .
ALTURA 23.80 cm
LARGURA 16.50 cm
PROFUNDIDADE 6.00 cm
NÚMERO DE PÁGINAS 1232
IDIOMA Inglês

Gazeta de Longbourn Apresenta: Lady Susan

Não consigo me decidir em relação a nada tão sério quanto um matrimônio, sobretudo porque no presente momento não estou precisando de dinheiro, e talvez, antes da morte do velho cavalheiro, o enlace me trouxesse muito poucas vantagens.

A primeira vez que li Lady Susan foi em francês, num pocket que me foi presenteado pela Claire, do Jane Austen Lost in France. Algum tempo depois, quando comprei a edição comentada de Persuasão da Zahar, encontrei uma tradução aparentemente inédita desse romance epistolar muitas vezes esquecido da Austen.

É interessante que quando se falam nos romances da autora inglesa, Lady Susan é muitas vezes esquecido. Isso ocorre talvez porque a um só tempo, esse romance epistolar não se encaixa na chamada Juvenilia, embora tenha sido escrito quando Austen ainda era uma adolescente, tampouco está par a par com os livros mais conhecidos.

Se fosse para resumir Lady Susan em uma palavra eu diria ‘cínico’. Em certa medida, ela me faz pensar no famoso As Ligações Perigosas, de Choderlos de Laclos – até mesmo pelo formato de ambos, onde a história é contada através de cartas.

Como já disse antes, Lady Susan é muito diferente das outras obras da autora. Não é uma comédia de maneiras, ou um romance edificante e inspirador. Do meu ponto de vista, me parece um estudo de personagem – uma personagem maquiavelicamente inteligente, manipuladora, sem qualquer tipo de compaixão ou empatia, nem mesmo para com a própria filha.

Onde quer que vá, Lady Susan convida escândalo. Sua beleza e inteligência a tornam irresistível para os homens. Sendo uma viúva, ela não precisa parar no flerte ou nas promessas de casamento como uma donzela – fica implícito quando conta de suas aventuras com um cavalheiro casado que ela fez mais que seduzi-lo com palavras.

O grande problema de Lady Susan, o que a torna uma vilã execrável, não é que ela tenha uma vida sexual ativa – ele foi publicado quase meio século após a morte da autora, talvez porque se tivesse saído ainda à época de Austen, teria ele mesmo provocado um escândalo. Não, não é um problema que se desvincule do estereótipo de protagonista romântica querendo casar por amor. A questão é sua relação com a filha, Frederica.

O abuso emocional que Frederica sofre nas mãos da mãe é para revirar o estômago. Lady Susan diz com todas as letras que é completamente indiferente à filha, exceto, talvez, para encontrar defeitos. Pela descrição que a mãe faz dela, temos a impressão de que Frederica é uma ratinha, absolutamente sem graça, sem vontade ou brilho. É uma impressão diferente das cartas de Mrs. Vernon, a tia, que a enxerga como uma menina doce, mas extremamente tímida, subjugada pelo bullying da própria mãe.

Lady Susan tem dois objetivos de vida: casar a filha com qualquer idiota que tenha dinheiro e casar-se ela própria com um marido rico. Para Frederica ela quer um idiota porque assim será mais fácil de controlar a filha, o genro (e não há muitos escrúpulos ou preocupações em seduzir esse aqui também…) e a bolsa. Para si, ela talvez prefira alguém mais jovem e vigoroso, contanto que seja manipulável.

Austen constrói todo esse drama de forma quase leve, predominantemente no tom irresponsável e arrogante de Lady Susan. A hipocrisia social e das relações familiares é o tema predominante, mas tudo parece estranhamente ausente de julgamentos – a despeito das missivas de Mrs. Vernon, a venenosa Lady Susan parece sempre conseguir se safar com graça e ainda por cima.

Os leitores habituais de Austen provavelmente estranharão a forma como as coisas acontecem aqui, mas Lady Susan é mais que uma simples curiosidade no currículo da autora. Não é a história em si que importa, mas sim os personagens (por isso que chamei de estudo de caráter), brilhantemente elaborados, e as questões morais trazidas por eles.