Querida Jane Austen – uma homenagem (lançamento)

Fui convidada por algumas amigas Moira, Vânia e Katherine a fazer um prefácio do livro Querida Jane Austen – uma homenagem! O livro está em pré-venda (veja detalhes abaixo).

18921770_656940557826962_8496165011967041098_n

No Bicentenário de falecimento da grande escritora inglesa Jane Austen, o selo Leque Rosa não poderia ficar de fora dessa homenagem. À escritora que não teve medo de criticar a sociedade de seu tempo; À filha e irmã que sempre esteve ao lado de quem tanto amou; À mulher que acreditava no amor e, por isso, não se submeteu a um casamento por conveniência; À criadora de personagens masculinos que até hoje povoam o imaginário feminino; À pessoa que buscou a felicidade e acabou por trazê-la, com suas histórias, à vida de outras pessoas. Um livro de contos, de época e contemporâneos, inspirados nas histórias e personagens dessa talentosa escritora. Um livro para deixá-lo metade agonia, metade esperança e enfeitiçá-lo de corpo e alma… Uma Homenagem.

homenagem.jpg

Detalhes:

  • Editora: Bezz; Edição: 1ª (17 de julho de 2017)
  • Idioma: Português
  • ISBN-10: 8568695701
  • ISBN-13: 978-8568695708
  • Peso do produto: 599 g

Está em pré-venda:

Na loja da Editora Bezz

Na Amazon

Lançamento: Austelândia

A Karlinha do Coffee and Movies acaba de me avisar deste lançamento da editora Record:
 
 
 
Jane Hayes tem 33 anos e mora na Nova York atual. Bonita, inteligente e com um bom emprego, ela guarda um um segredo constrangedor: é verdadeiramente obcecada pelo Sr. Darcy. Embora sonhe com ele, os homens reais com os quais se depara são muito diferentes dos que habitam sua fantasia. Justamente por isso, ela decide deixar de lado sua vida amorosa e aceitar seu destino: noites solitárias aconchegada no sofá assistindo a Colin Firth em seu DVD.

Porém, esses não são os planos que sua rica e velha tia-avó Carolyn, tem para a moça. A única a descobrir o segredo de Jane deixa, em seu testamento, férias pagas para a sobrinha-neta na Austenlândia. A ideia é que Jane tenha uma legítima experiência como uma dama no início do século XX e consiga se livrar de uma vez por todas de sua obsessão. Contudo, para isso, ela terá que abrir mão do celular, da internet e até do uso de sutiãs em troca de tardes de leitura, espartilhos e… a companhia de belos cavalheiros. 

O livro inspirou o filme de mesmo nome estrelado por Keri Russell e sem data prevista para estrear. Assista ao trailer clicando no link http://bit.ly/AustenlandTrailer. ou Abaixo:

 
 

Terças: Indicações de livros – Friendship of a special kind

A indicação de livros de hoje é super especial: Friendship of special kind escrito por nossa querida Moira Bianchi! Para quem não conhece, a  Moira esteve em nosso IV Encontro Nacional da JASBRA fazendo uma apresentação a respeito de fanfics. Moira é carioca, arquiteta e adora escrever. Seu livro é em inglês por causa do seu engajamento com o pessoal que escreve livros inspirados nos clássicos de Jane Austen – uma comunidade enorme com pessoas de todas as partes do mundo. Minha edição está guardadinha no meu Ipad aguardando a lista enorme de livros que tenho para ler! 
Leia aqui a resenha escrita por Natallie Chagas. 
À venda nos formatos impresso e kindle na Amazon.
Para maiores informações sobre o trabalho de Moira, clique aqui e conheça o blog da autora.
Moira também divulgou sua apresentação no IV Encontro Nacional da JASBRA no youtube.

Terças: Indicações de Livros: As paixões de Mr. Darcy

O mais novo livro de Sharon Lathan – The passions of Mr. Darcy – será lançado hoje lá nos Estados Unidos. Sharon me enviou o convite pelo facebook e os detalhes que seguem abaixo: 

Compre na Amazon ou Barnes&Noble

Sharon Lathan

Na página autora há maiores detalhes sobre o livro e outras publicações de Sharon.

Confira o resumo (em inglês) abaixo:

George Darcy is the second son of a wealthy landowner in Georgian Era England. At 22 he is one of the youngest medical doctorate graduates of Cambridge University and admitted licentiate from the London Royal College of Physicians, and thus considered a brilliant, rising star in England’s field of medicine. Yet Dr. Darcy refuses the easy, comfortable pathway and enlists as a physician with the British East India Company, embarking on a personal quest to broaden his education and practice his craft without the restraints imposed by British society.
The Passions of Dr. Darcy spans thirty-four years in the life of this incredible, eccentric man. Using vivid descriptions of the culture and atmosphere, the story traces his early steps as a new doctor in a strange land on to his eventual return to England and his childhood home decades later. This is a story of India and the people as well as of the diseases and medical care available. Primarily, however, this is the story of one man who strived to change the face of medicine while yearning to fill the void left within his soul upon the death of his identical twin when they were 12. His search for family, enduring love, and lost companionship is a quest not wholly realized until returning to England and Pemberley. There a new generation of family and friends will heal the physician, and to his greatest surprise, the true love of his life awaits.

Orgulho e Preconceito e gatos?

Como hoje é terça-feira, publicarei a indicação de um livro simplesmente porque eu achei de uma grande imaginação. Portanto, não é para levar a sério, ok? 🙂

Tá certo que eu adoro meu gatinho Fitz(william Darcy) e tudo o que envolve os bichanos. Mas esse livro….

Bem, vejamos o resumo:

E se Orgulho e Preconceito fosse contado sob o ponto de vista de um gato? O livro propõe uma mistura de duas que não conseguimos ficar sem: gatos e Jane Austen! (nisso eu concordo!)
O livro é para aqueles que gostam de gatos e gostam de Austen!

Visite a página do livro aqui e assista ao vídeo.

À venda na amazon

Lançamento: Morte em Pemberley

Por indicação da Viviane Costa, apresento a vocês o lançamento de ‘Morte em Pemberley’ publicado pela Cia das Letras, com tradução de Sônia Moreira
Pré-venda na Livraria da Travessa por R$ 34,76. 

A capa ficou simples tendo em vista as capas internacionais. Confira aqui a resenha de Luciana Darce publicada maio de 2012. 

Encontro Regional da JASBRA-RJ

No último dia 16 de fevereiro a regional da JASBRA-RJ realizou um encontro – após algumas mudanças de endereço – na Livraria da Travessa (Shopping Leblon). As mudanças de local tiveram que ser feitas por um motivo bem especial: o Programa Espaço Aberto Literatura (do canal Globo News) mais uma vez me convidou para gravar um programa sobre Jane Austen em comemoração aos Bicentenário de Orgulho e Preconceito! Como eu não poderia estar no Rio naquele final de semana, passei a responsabilidade para as mãos das representantes do RJ: Anna Katharine Lamellas e Lucienne Soares! O programa será exibido em março e o jornalista Claufe Rodrigues ficou de nos avisar a data correta. Aguardem as novidades aqui no blog. 
Claufe Rodrigues no centro rodeados de Janeites! 🙂
Momentos durante a gravação:
 Anna Katharine falando algo que espantou o Claufe (olha a cara dele!!). 

 Jennifer e Ingrid também foram entrevistadas (detalhe das camisetas do IV Encontro Nacional)!

Queria muito saber o motivo do embaraço da Larissa! 🙂
Mais algumas entrevistadas.
Moira Bianchi apresentando seu livro (fanfic): Friendship of a special kind 
(baseada em Orgulho e Preconceito) 
Após a entrevista, as meninas fizeram o tradicional encontro com bate-papo e sorteios! 
 Vejam quantos livros!! 

Anna está muito concentrada! 🙂

The Bennet Girls – Fanfics

Por indicação das meninas do Jane Austen Portugal, descobri o site com fanfics escritas em inglês: Jane Austen Fanfiction by Bennet Girls!
Para que ainda não conhece, aqui no Brasil também há um site com fanfics escritas pelas brasileiras (http://www.janeaustenfanfics.com.br/). Vejam aqui o post que escrevi em 2009: Yes, nós temos fanfics!
Clique para ler os demais posts sobre fanfics.

Captain Wentworth’s diary (Amanda Grange)

Olá todo mundo! Meu nome é Natallie Chagas. Paraense, leitora inveterada, dona do blog Meu Cantinho Literário, leio de tudo um pouco. Apaixonada por Jane Austen faz algum tempo, tento transmitir essa paixão pela autora Pará afora. Como minha primeira contribuição ao blog, escolhi a resenha do livro Captain Wentworth’s diary. O motivo? Bom, leiam e vocês vão saber 🙂

Título: Captain Wentworth’s diary
Autora: Amanda Grange
Editora Berkeley Trade, 304p.

Anne, always Anne. 

 O jovem Frederick Wentworth conhece Anne Elliot em uma pequena reunião. Ele primeiro pensa que ela é dama de companhia de Elizabeth Elliot, mas logo descobre seu engano. Primeiro com a intenção de flertar com Anne (sem dúvida, penalizado com a situação da moça desconsiderada pelo pai e pela irmã), mas o jeito delicado de Anne o encanta. Encontros casuais fazem com que a afeição por ela cresça a cada dia. Nesse meio tempo, Lady Russel começa a perceber a (e desgostar da) atenção que Wentworth dá a Anne sempre que eles estão no mesmo local. Mesmo ciente desse fato, o então comandante resolve não desistir de Anne. Então, ele a pede em casamento. Anne aceita e seu pai consente (em termos não muitos amigáveis). A felicidade é enorme, até a moça cancelar tudo. Graças à Lady Russel. Wentworth a confronta, mesmo magoado. Ele parte. 
Anos depois, agora já capitão, Wentworth recebe um convite da irmã para se hospedar na casa dela, antiga propriedade de Sir Elliot. Suas lembranças afloram, e mesmo tentando parecer indiferente ao destino de Anne, ele não consegue segurar sua curiosidade. Ele fica feliz ao descobrir quem realmente é Mrs. Musgrove. Finalmente, eles se encontram novamente, mas tudo que Wentworth pode sentir é desgosto, pois Anne não demonstra mais ter todo o brilho que um dia ele conheceu. Vendo a constante desatenção sofrida pela moça, ele tem vontade de defendê-la. Mesmo conversando com outros e sendo requisitado por todos, sua atenção permanece com Anne. Wentworth começa a perceber que continua dedicando a moça os mesmos sentimentos de antes. Mais do que isso, seus sentimentos agora também são contraditórios: raiva, frustração, esperança. E ciúmes, muito ciúmes. Até finalmente perceber que Anne nunca saiu de sua cabeça e que ele continua querendo-a como esposa. 

Me surpreendi quando ele primeiramente pensou em Anne como um simples flerte. Mesmo que ele estivesse penalizado pela pouca consideração que o pai e a irmã tinham dela, fiquei com raiva porque isso não parecia um bom motivo para flertar (ato que eu considero, ao ler as novelas de Austen, como um homem querendo se divertir à custa dos sentimentos de uma jovem) e acabei me lembrando de Wickham e Willoughby. 
Outra coisa que me irritou terrivelmente foi Lady Russel. Mesmo que suas intenções tenham sido as melhores, já que Anne era muito jovem, não consigo deixar de pensar nos motivos que a levaram a aconselhar Anne a não se casar. No confronto que se segue, adoro a menção à inconstância de sentimentos femininos e masculinos, discussão em Persuasão que eu me derreto todas as vezes que leio. Outro ponto alto: Wentworth estava desesperançado com a inconstância de Anne e queria se apaixonar por uma jovem determinada. Achando que fosse encontrar isso em Louisa Musgrove, mais tarde percebe que uma determinação incansável pode não ser, afinal de contas, uma grande qualidade. Como se não precisasse de mais nada para ele direcionar seu pensamento para Anne. Também gostei de Amanda ter mantido Wentworth como o homem determinado e com os sentimentos intensos (os quais só temos real consciência na carta) que Jane Austen nos presenteia. Um livro muito bom, uma leitura maravilhosa. Muito recomendado.

Jane Austen Erótica?

O Sérgio Rodrigues da Coluna Todo Prosa (Veja.com) escreveu um post polêmico sobre o lançamento do livro escrito por Mitzi

Confiram abaixo o post:

Sérgio Rodrigues – Todoprosa
Jane Austen em versão pornô
Agora é definitivo: depois de dar a partida na moda dos mashups com o sucesso de “Orgulho e preconceito e zumbis”, que abriu a porta para a invasão dos clássicos da literatura por criaturas pop variadas, de monstros marinhos a robôs steampunk, Jane Austen acaba de se consagrar como a rainha incontestável da reciclagem literária brincalhona-oportunista. A coroação se dará com o lançamento pela editora americana Cleis Press, mês que vem, de Pride and prejudice: hidden lusts (“Orgulho e preconceito: prazeres ocultos”), obra erótica de uma certa Mitzi Szereto.
A julgar pelos clichês “românticos” acumulados na capa, estamos no terreno daquele erotismo prêt-à-porter dos livrinhos de banca de jornal, e portanto distantes do sexo transgressivo de Sade, Bataille e Rèage, embora Szereto insinue no site do livro (que inclui um clipe chinfrim) a inclusão supostamente subversiva de alguns temperos gays. No site somos informados também de que esse é o romance que Jane Austen teria escrito “se tivesse coragem”. O estilo do material de divulgação sugere prazeres mais humorísticos que eróticos:
Em “Orgulho e preconceito: prazeres ocultos”, todo o elenco de personagens do clássico de Austen é flagrado com as calças desabotoadas e as saias levantadas, numa versão recontada que mostra tudo – e um pouco mais! O Sr. Darcy nunca foi mais danadinho, e a aparentemente casta Elizabeth nunca foi mais quente.
Não se sabe se essa Jane Austen devassa venderá tanto quanto a dos zumbis. Mas, caso se abra um novo filão e os editores brasileiros se animem mais uma vez a explorá-lo, aposto que Machado de Assis e Capitu serão os primeiros da fila.