Feliz Páscoa!

Esse post é velhinho, mas vale à pena publicá-lo novamente! 
De acordo com a revista do Jane Austen Centre, a páscoa na época de Jane Austen (incluindo os 40 dias seguidos – ascenção de Cristo)eram uma época para viajar e visitar a família. Como nessa época do ano é primavera no hemisfério norte, certamente é uma época mais propícia para que as famílias daquela época pudesse viajar em estradas secas e o clima estaria mais agradável. Todo tipo de referência à páscoa em seus livros e suas cartas involve viagens. Ainda segundo a revista do Jane Austen Centre, a passagem mais conhecida é quando Mr. Darcy chega em Rosings Park para visitar sua tia, Lady Catherine DuBourgh (Pride and Prejudice).

Enquanto observamos as citações de páscoa na obra de Jane, é interessante destacar que para a família Austen e os ingleses da época o período era celebrado com bastante discrição com um jantar em família seguido de meditação. Bastante diferente do que vemos hoje em dia, com a exploração da mídia e toneladas de chocolate sendo vendidos.

****
De acordo com alguns colegas da comunidade: Perguntas sobre Anglicanismo, a páscoa na Igreja Católica é bem parecida com a da Igreja Católica:
De acordo com o Rodrigo, os anglicanos brasileiros seguem “o calendário litúrgico da Quinta-feira em memória à Última Ceia, com o lava-pés, retirada dos adornos do altar, recolha do símbolo do Divino Espírito Santo…também a Sexta-feira da paixão, a vigília pascoal, e o Domingo da Ressurreição, claro, que o lado do Natal são as datas em funções das quais o calendário é organizado. A seqüência de todos os domingos do ano eclesiástico depende da data da Páscoa.Entre o Domingo da Ressurreição e o Pentecostes, celebra-se como se fosse uma festa só“.
****
Abaixo algumas passagens dos livros de Austen que citam a páscoa – agradeço à minha amiga Lília dos Anjos pela pesquisa:
Razão e Sensibilidade, na ocasião em que “… os Palmer iriam voltar para Cleveland em fins de março, antes dos feriados da Páscoa…” (Razão e Sensibilidade, capítulo III).

Emma“-Não sei, querida… mas é que faz tanto tempo que não vieram! A última vez foi por Páscoa, e só por muito poucos dias… que o senhor John Knightley seja advogado é um grande inconveniente… Pobre Isabella! Que triste é que tenha que estar separada de todos nós! E que pena terá quando vier e não encontre aqui à senhorita Taylor!” (Emma, capítulo IX).


Orgulho e Preconceito“Deste modo tranquilo passaram os primeiros quinze dias da sua visita. Aproximava-se a Páscoa e a semana que a precedia traria uma pessoa a Rosings; e, numa família tão pequena, tal acréscimo não deixava de ser importante”(Orgulho e Preconceito, capítulo XXX).

Mansfield Park“Setecentas libras por ano é uma bela renda para um irmão mais moço; e como ele continuará a viver na casa dos pais, tal renda se destinará por completo para seus “menus plaisirs”; e um sermão no Natal e um na Páscoa, creio eu, será toda a soma de seus sacrifícios” (Mansfield Park, capítulo XXIII).

***

O cartãozinho acima é da Ira Huberts, conheça aqui o trabalho da artesã.
Anúncios

Sextas – Jane Austen Irônica (Collins parte 4)

Hoje é dia da Coluna das sextas-feiras: Jane Austen Irônica!

Aproveitando que o tema de discussão da semana é sobre o Mr. Collins, vamos dar destaque ao personagem também na Coluna Jane Austen Irônica! Com vocês o quarto quadrinho irônico! 
Conheça aqui os outros posts desta coluna.

Caso queira participar
envie-nos suas ideias: adriana@jasbra.com.br 

Feliz Páscoa! Happy Easter!

Prezados leitores e amigos desejo à todos uma Feliz Páscoa! 

Este post é de 2009, mas acho interessante publicá-lo nesta data!

A imagem acima foi uma criação minha e da minha filha, ainda quando o blog se chamava Jane Austen Club.

De acordo com a revista do Jane Austen Centre, a páscoa na época de Jane Austen (incluindo os 40 dias seguidos – ascenção de Cristo) eram uma época para viajar e visitar a família. Como nessa época do ano é primavera no hemisfério norte, certamente é uma época mais propícia para que as famílias daquela época pudesse viajar em estradas secas e o clima estaria mais agradável. Todo tipo de referência à páscoa em seus livros e suas cartas involve viagens. Ainda segundo a revista do Jane Austen Centre, a passagem mais conhecida é quando Mr. Darcy chega em Rosings Park para visitar sua tia, Lady Catherine DuBourgh (Pride and Prejudice).
Enquanto observamos as citações de páscoa na obra de Jane, é interessante destacar que para a família Austen e os ingleses da época o período era celebrado com bastante discrição com um jantar em família seguido de meditação. Bastante diferente do que vemos hoje em dia, com a exploração da mídia e toneladas de chocolate sendo vendidos.

*****
De acordo com alguns colegas da comunidade: Perguntas sobre Anglicanismo, a páscoa na Igreja Católica é bem parecida com a da Igreja Católica:

De acordo com o Rodrigo, os anglicanos brasileiros seguem “o calendário litúrgico da Quinta-feira em memória à Última Ceia, com o lava-pés, retirada dos adornos do altar, recolha do símbolo do Divino Espírito Santo…também a Sexta-feira da paixão, a vigília pascoal, e o Domingo da Ressurreição, claro, que o lado do Natal são as datas em funções das quais o calendário é organizado. A seqüência de todos os domingos do ano eclesiástico depende da data da Páscoa.Entre o Domingo da Ressurreição e o Pentecostes, celebra-se como se fosse uma festa só“.

*****

Abaixo algumas passagens dos livros de Austen que citam a páscoa – agradeço à minha amiga Lília dos Anjos pela pesquisa:

Razão e Sensibilidade, na ocasião em que “… os Palmer iriam voltar para Cleveland em fins de março, antes dos feriados da Páscoa…” (Razão e Sensibilidade, capítulo III).
Emma: “-Não sei, querida… mas é que faz tanto tempo que não vieram! A última vez foi por Páscoa, e só por muito poucos dias… que o senhor John Knightley seja advogado é um grande inconveniente… Pobre Isabella! Que triste é que tenha que estar separada de todos nós! E que pena terá quando vier e não encontre aqui à senhorita Taylor!” (Emma, capítulo IX).
Orgulho e Preconceito: “Deste modo tranquilo passaram os primeiros quinze dias da sua visita. Aproximava-se a Páscoa e a semana que a precedia traria uma pessoa a Rosings; e, numa família tão pequena, tal acréscimo não deixava de ser importante” (Orgulho e Preconceito, capítulo XXX).
Mansfield Park: “Setecentas libras por ano é uma bela renda para um irmão mais moço; e como ele continuará a viver na casa dos pais, tal renda se destinará por completo para seus “menus plaisirs”; e um sermão no Natal e um na Páscoa, creio eu, será toda a soma de seus sacrifícios” (Mansfield Park, capítulo XXIII).
Nota: Mansfield Park é o livro que mais cita a páscoa!
***
Texto escrito com a colaboração de Lília dos Anjos.
*****
Acima de todas as coisas, acredito que este é o momento ideal para reflexões, orações e mudanças! Um bom renovo na vida de todos vocês! Boa páscoa!

Abril inteiro na companhia de Emma – Encontro das Regionais

Prezados leitores, é com grande prazer que faço este convite para os Encontros das Regionais da JASBRA! Vejam o quanto crescemos nesses últimos tempos!

Por favor, é preciso enviar um email de confirmação para cada organizador do evento regional para que os demais detalhes sejam acertados. Obrigada!

 

JASBRA-PE
01/04 às 14:00 – Recife
Local: Auditório Manuel Bandeira – Saraiva Megastore no Shopping Recife
Obs: Quem quiser participar do amigolate é só ovo de páscoa nr. 15
JASBRA-DF
07/04 às 14:00 – Brasília
Local: Livraria Cultura – Shopping Iguatemi
JASBRA-SP
14/04 às 15:00 – São Paulo
Local: Café Girondino (R. Boa Vista, 365 – Metrô São Bento)
JASBRA-MG
14/04 às 14:00 – Belo Horizonte
Local: a combinar por email
Contato: Adriana Zardini –  aszardini@gmail.com
JASBRA-RS
14/04 às 15:00 – Porto Alegre
Local: Confraria do Café (Bourbon Contry) – capacidade 16 pessoas
JASBRA-SC
14/04 às 14:00 – Florianópolis
Local: Café Sublime – Av. Vereador Nagib Jabor, 452
Obs: Quem quiser participar do coelho secreto, basta levar uma caixinha de chocolate.
JASBRA-MS
14/04 – horário a confirmar –
Local: a confirmar
JASBRA-PR
Local e horário – a combinar
 
JASBRA-RJ
15/04 às 14:00
Local: Jardins do Palácio do Catete – RJ
Obs: O livro discutido será Mansfield Park porque já haviam combinado, por votação. 
Quem quiser participar do amigolate é só levar uma barra de chocolate
JASBRA-AM
28/04 às 19:00
Local: Espaço Cultural Thiago de Mello (Livraria Saraiva)
JASBRA-PB
28/04 às 16:00
Local: a confirmar

Família Darcy deseja boa páscoa!

Por indicação da Laurel Ann (do blog AustenProse) conheci o mais novo blog dedicado à Jane Austen. O Janeite Journal é um blog escrito por Miss Wareham e Miss Smith e vale à pena conferir!
O post de ontem é sobre a páscoa e a família Darcy. Vejam que simpáticos os ovinhos pintados e vestidos como os personagens de Austen! Confesso que deve ter sido um trabalhão, mas o resultado compensou todo o trabalho, não é mesmo! Para ler o post clique aqui.

Jane Austen e a Páscoa

Começo este post relembrando um post que fiz em 2009, nesta mesma ocasião: Páscoa! Na época, o blog ainda se chama Jane Austen Club e estávamos em meios aos preparativos para a criação da JASBRA e o I Encontro Nacional da sociedade.

A páscoa na época de Jane Austen (incluindo os 40 dias seguidos – ascenção de Cristo) eram uma época para viajar e visitar a família. Como nessa época do ano é primavera no hemisfério norte, certamente é uma época mais propícia para que as famílias daquela época pudesse viajar em estradas secas e o clima estaria mais agradável. Todo tipo de referência à páscoa em seus livros e suas cartas involve viagens. Ainda segundo a revista do Jane Austen Centre, a passagem mais conhecida é quando Mr. Darcy chega em Rosings Park para visitar sua tia, Lady Catherine DuBourgh (Pride and Prejudice).

Para conhecer um pouco mais sobre a páscoa na época de Austen, leia aqui.
Leia também o post da Vic Sanborn (Jane Austen’s World) sobre a páscoa.
 

No post de 2009, eu também fiz uma relação dos livros de Austen que citam a páscoa. Vale à pena relembrar:
 
Razão e Sensibilidade, na ocasião em que “… os Palmer iriam voltar para Cleveland em fins de março, antes dos feriados da Páscoa…” (Razão e Sensibilidade, capítulo III).
Emma: “-Não sei, querida… mas é que faz tanto tempo que não vieram! A última vez foi por Páscoa, e só por muito poucos dias… que o senhor John Knightley seja advogado é um grande inconveniente… Pobre Isabella! Que triste é que tenha que estar separada de todos nós! E que pena terá quando vier e não encontre aqui à senhorita Taylor!” (Emma, capítulo IX).
Orgulho e Preconceito: “Deste modo tranquilo passaram os primeiros quinze dias da sua visita. Aproximava-se a Páscoa e a semana que a precedia traria uma pessoa a Rosings; e, numa família tão pequena, tal acréscimo não deixava de ser importante” (Orgulho e Preconceito, capítulo XXX).
Mansfield Park: “Setecentas libras por ano é uma bela renda para um irmão mais moço; e como ele continuará a viver na casa dos pais, tal renda se destinará por completo para seus “menus plaisirs”; e um sermão no Natal e um na Páscoa, creio eu, será toda a soma de seus sacrifícios” (Mansfield Park, capítulo XXIII).
Nota: Mansfield Park é o livro que mais cita a páscoa!
Texto escrito com a colaboração de Lília dos Anjos.
*****
Acima de todas as coisas, acredito que este é o momento ideal para reflexões, orações e mudanças! Um bom renovo na vida de todos vocês! Boa páscoa!

Jane Austen na Páscoa

Sob o comando de Luciana Darce, o próximo encontro em Recife (este convite é extensivo aos moradores das regiões vizinhas) será no dia 17 de abril às 13:00.
Programação:
O encontro vai começar com a exibição do filme Razão e Sensibilidade, passando depois para o debate do livro, alguns sorteios e para encerrar teremos o  coelho secreto. Todos podem participar, contanto que levem seu ovo de chocolate número 15 – o sorteio será feito na hora.

Data: 17/04 a partir das 13:00
Local: Livraria Saraiva do Shopping Recife

Feliz Páscoa!

Páscoa é tempo de renascimento! Tempo de reflexão! Desejo que o amor, a esperança e a solidariedade estejam presentes no coração de todos vocês!

Feliz Páscoa! Happy Easter!

Fiz a montagem acima com uma carinha de coelho e cestinha da minha filha e as florzinhas são de verdade, do jardim aqui de casa.

De acordo com a revista do Jane Austen Centre, a páscoa na época de Jane Austen (incluindo os 40 dias seguidos – ascenção de Cristo)eram uma época para viajar e visitar a família. Como nessa época do ano é primavera no hemisfério norte, certamente é uma época mais propícia para que as famílias daquela época pudesse viajar em estradas secas e o clima estaria mais agradável. Todo tipo de referência à páscoa em seus livros e suas cartas involve viagens. Ainda segundo a revista do Jane Austen Centre, a passagem mais conhecida é quando Mr. Darcy chega em Rosings Park para visitar sua tia, Lady Catherine DuBourgh (Pride and Prejudice).
Enquanto observamos as citações de páscoa na obra de Jane, é interessante destacar que para a família Austen e os ingleses da época o período era celebrado com bastante discrição com um jantar em família seguido de meditação. Bastante diferente do que vemos hoje em dia, com a exploração da mídia e toneladas de chocolate sendo vendidos.

*****

De acordo com alguns colegas da comunidade: Perguntas sobre Anglicanismo, a páscoa na Igreja Católica é bem parecida com a da Igreja Católica:

De acordo com o Rodrigo, os anglicanos brasileiros seguem “o calendário litúrgico da Quinta-feira em memória à Última Ceia, com o lava-pés, retirada dos adornos do altar, recolha do símbolo do Divino Espírito Santo…também a Sexta-feira da paixão, a vigília pascoal, e o Domingo da Ressurreição, claro, que o lado do Natal são as datas em funções das quais o calendário é organizado. A seqüência de todos os domingos do ano eclesiástico depende da data da Páscoa.Entre o Domingo da Ressurreição e o Pentecostes, celebra-se como se fosse uma festa só“.

Vale à pena consultar este tópico que abri no Orkut, para se entender melhor como é esta religião, principalmente aqui no Brasil.

*****

Abaixo algumas passagens dos livros de Austen que citam a páscoa – agradeço à minha amiga Lília dos Anjos pela pesquisa:

Razão e Sensibilidade, na ocasião em que “… os Palmer iriam voltar para Cleveland em fins de março, antes dos feriados da Páscoa…” (Razão e Sensibilidade, capítulo III).
Emma: “-Não sei, querida… mas é que faz tanto tempo que não vieram! A última vez foi por Páscoa, e só por muito poucos dias… que o senhor John Knightley seja advogado é um grande inconveniente… Pobre Isabella! Que triste é que tenha que estar separada de todos nós! E que pena terá quando vier e não encontre aqui à senhorita Taylor!” (Emma, capítulo IX).
Orgulho e Preconceito: “Deste modo tranquilo passaram os primeiros quinze dias da sua visita. Aproximava-se a Páscoa e a semana que a precedia traria uma pessoa a Rosings; e, numa família tão pequena, tal acréscimo não deixava de ser importante” (Orgulho e Preconceito, capítulo XXX).
Mansfield Park: “Setecentas libras por ano é uma bela renda para um irmão mais moço; e como ele continuará a viver na casa dos pais, tal renda se destinará por completo para seus “menus plaisirs”; e um sermão no Natal e um na Páscoa, creio eu, será toda a soma de seus sacrifícios” (Mansfield Park, capítulo XXIII).

Nota: Mansfield Park é o livro que mais cita a páscoa!