Live 51 – Capítulos 41 ao 50 de Orgulho e Preconceito

Nossa próxima #janeaustenlives será no dia 05 de agosto às 20:00. As lives de quartas-feira fazem parte do projeto #relendoausten e são dedicadas à leitura/releitura dos livros de Austen. Desta vez, pudemos discutir os capítulos 41 ao 50 de Orgulho e Preconceito, de Jane Austen. Essa é uma parceria entre a @janeaustenbrasil e o @liliabooks (Lilia dos Anjos). Aguardamos todos vocês no Instagram!

#janeaustenbrasil #liliabooks #janeaustensociedadedobrasil #janeaustensocietyofbrazil #jasbra #relendoausten #orgulhoepreconceito

Live 43 – Capítulos 1 ao 10 de Orgulho e Preconceito

Nossa #janeaustenlives de 08 de julho foi às 18:00. As lives de quartas-feira fazem parte do projeto #relendoausten e são dedicadas à leitura/releitura dos livros de Austen. Desta vez, pudemos discutir os capítulos 01 a 10 de Orgulho e Preconceito, de Jane Austen. Essa é uma parceria entre a @janeaustenbrasil e o @liliabooks (Lilia dos Anjos). Aguardamos todos vocês no Instagram!

#janeaustenbrasil #liliabooks #janeaustensociedadedobrasil #janeaustensocietyofbrazil #jasbra #relendoausten #orgulhoepreconceito

Live 27 – Conhecendo Jane Austen: Mansfield Park

Nossa próxima live, dia 29 de maio às 20:00 (horário de Brasília) será com a Lília dos Anjos. Conhecendo Jane Austen faz parte das nossas #janeaustenlives e a Lília traz, uma vez por mês, um livro da escritora. Desta vez, o livro escolhido para a próxima sexta-feira é Mansfield Park.

Bio: Especialista em literatura e ensino. Mestra e doutoranda em Linguística Aplicada pela UFPB. Escreveu artigos sobre Jane Austen.

Live 17 – Conhecendo Jane Austen: Abadia de Northanger

Nossa convidada da #janeaustenlives de amanhã é figurinha carimbada aqui no nosso blog e nos encontros da JASBRA: Lilia dos Anjos! Lilia fará, uma vez por mês, um esboço de cada uma das seis obras principais de Austen. O primeiro livro escolhido é Abadia de Northanger.

Nossa live será 29 de abril às 20:00 (horário de Brasília) no nosso perfil @janeaustenbrasil no Instagram.

Bio: Especialista em literatura e ensino. Mestra e doutoranda em Linguística Aplicada pela UFPB. Escreveu artigos sobre Jane Austen.

Próximas #janeaustenlives

Na nossas próximas #janeaustenlives só tem gente fera!

Vejam os convites abaixo! Aos poucos vamos publicar detalhes de cada uma! Lembrem-se que as lives estão acontecendo no nosso perfil no instagram @janeaustenbrasil

Terças – Indicações de livros – Para Celebrar Jane Austen

Hoje é dia da Coluna das terças-feiras: Indicações de livros!  A Lília dos Anjos (JASBRA-PB) me indicou esse super lançamento em português: Para Celebrar Jane Austen: Diálogos Entre Literatura e Cinema – de Genilda Azerêdo, clique aqui para conhecer os outros livros publicados por essa paraibana! 



Descrição

Os textos críticos reunidos neste livro são resultado de uma pesquisa financiada pelo CNPQ, através de bolsa de produtividade em pesquisa.

Os textos abordam questões fundamentais dos romances de Jane Austen, publicados entre 1811 e 1818, como a relevância das protagonistas-mulheres e a necessidade de tornar seus anseios e suas subjetividades visíveis, bem como o uso inovador que Austen faz dos recursos metalinguísticos e metaficcionais, a exemplo da paródia. 

A discussão também aproveita a relação contemporânea entre Austen e a adaptação audiovisual, sobretudo aquela realizada pelo cinema. 

As frequentes adaptações de romances da autora atestam a atualidade das questões que ela aborda, a exemplo do autocontrole da emoção, da necessidade do discernimento crítico, mas também de experiências, ainda que sutilmente expressas, ligadas à sexualidade, ao erotismo; também de questões mais amplamente políticas, como a crítica ferrenha à hipocrisia e ao imperialismo da sociedade inglesa pré-vitoriana.

Especificações

Encadernação: Encadernado
Dimensões (Altura x Largura): 14,8 x 21

Dados técnicos

Número de Páginas: 110
Edição: 1a
Ano da edição: 2013

PRÉ-LANÇAMENTO! Clique aqui para fazer a sua reserva! 

Conheça aqui as outras indicações desta coluna.

Artigo: Literatura na Web

Prezados leitores e amigos, conversando outro dia com a Lília dos Anjos, acabamos percebendo que apenas publicamos aqui no blog sobre a nossa apresentação no 3o Simpósio Hipertexto e Tecnologias na Educação.

Infelizmente nos esquecemos de divulgar nosso artigo sobre ‘A literatura discutida na WEB: algumas reflexões sobre o compartilhamento de saberes’. Nesse artigo discutimos a respeito do fórum de discussão da JASBRA e traçamos um perfil dos usuários. Espero que gostem! 

Feliz Páscoa! Happy Easter!

Prezados leitores e amigos desejo à todos uma Feliz Páscoa! 

Este post é de 2009, mas acho interessante publicá-lo nesta data!

A imagem acima foi uma criação minha e da minha filha, ainda quando o blog se chamava Jane Austen Club.

De acordo com a revista do Jane Austen Centre, a páscoa na época de Jane Austen (incluindo os 40 dias seguidos – ascenção de Cristo) eram uma época para viajar e visitar a família. Como nessa época do ano é primavera no hemisfério norte, certamente é uma época mais propícia para que as famílias daquela época pudesse viajar em estradas secas e o clima estaria mais agradável. Todo tipo de referência à páscoa em seus livros e suas cartas involve viagens. Ainda segundo a revista do Jane Austen Centre, a passagem mais conhecida é quando Mr. Darcy chega em Rosings Park para visitar sua tia, Lady Catherine DuBourgh (Pride and Prejudice).
Enquanto observamos as citações de páscoa na obra de Jane, é interessante destacar que para a família Austen e os ingleses da época o período era celebrado com bastante discrição com um jantar em família seguido de meditação. Bastante diferente do que vemos hoje em dia, com a exploração da mídia e toneladas de chocolate sendo vendidos.

*****
De acordo com alguns colegas da comunidade: Perguntas sobre Anglicanismo, a páscoa na Igreja Católica é bem parecida com a da Igreja Católica:

De acordo com o Rodrigo, os anglicanos brasileiros seguem “o calendário litúrgico da Quinta-feira em memória à Última Ceia, com o lava-pés, retirada dos adornos do altar, recolha do símbolo do Divino Espírito Santo…também a Sexta-feira da paixão, a vigília pascoal, e o Domingo da Ressurreição, claro, que o lado do Natal são as datas em funções das quais o calendário é organizado. A seqüência de todos os domingos do ano eclesiástico depende da data da Páscoa.Entre o Domingo da Ressurreição e o Pentecostes, celebra-se como se fosse uma festa só“.

*****

Abaixo algumas passagens dos livros de Austen que citam a páscoa – agradeço à minha amiga Lília dos Anjos pela pesquisa:

Razão e Sensibilidade, na ocasião em que “… os Palmer iriam voltar para Cleveland em fins de março, antes dos feriados da Páscoa…” (Razão e Sensibilidade, capítulo III).
Emma: “-Não sei, querida… mas é que faz tanto tempo que não vieram! A última vez foi por Páscoa, e só por muito poucos dias… que o senhor John Knightley seja advogado é um grande inconveniente… Pobre Isabella! Que triste é que tenha que estar separada de todos nós! E que pena terá quando vier e não encontre aqui à senhorita Taylor!” (Emma, capítulo IX).
Orgulho e Preconceito: “Deste modo tranquilo passaram os primeiros quinze dias da sua visita. Aproximava-se a Páscoa e a semana que a precedia traria uma pessoa a Rosings; e, numa família tão pequena, tal acréscimo não deixava de ser importante” (Orgulho e Preconceito, capítulo XXX).
Mansfield Park: “Setecentas libras por ano é uma bela renda para um irmão mais moço; e como ele continuará a viver na casa dos pais, tal renda se destinará por completo para seus “menus plaisirs”; e um sermão no Natal e um na Páscoa, creio eu, será toda a soma de seus sacrifícios” (Mansfield Park, capítulo XXIII).
Nota: Mansfield Park é o livro que mais cita a páscoa!
***
Texto escrito com a colaboração de Lília dos Anjos.
*****
Acima de todas as coisas, acredito que este é o momento ideal para reflexões, orações e mudanças! Um bom renovo na vida de todos vocês! Boa páscoa!

Jane Austen e a Páscoa

Começo este post relembrando um post que fiz em 2009, nesta mesma ocasião: Páscoa! Na época, o blog ainda se chama Jane Austen Club e estávamos em meios aos preparativos para a criação da JASBRA e o I Encontro Nacional da sociedade.

A páscoa na época de Jane Austen (incluindo os 40 dias seguidos – ascenção de Cristo) eram uma época para viajar e visitar a família. Como nessa época do ano é primavera no hemisfério norte, certamente é uma época mais propícia para que as famílias daquela época pudesse viajar em estradas secas e o clima estaria mais agradável. Todo tipo de referência à páscoa em seus livros e suas cartas involve viagens. Ainda segundo a revista do Jane Austen Centre, a passagem mais conhecida é quando Mr. Darcy chega em Rosings Park para visitar sua tia, Lady Catherine DuBourgh (Pride and Prejudice).

Para conhecer um pouco mais sobre a páscoa na época de Austen, leia aqui.
Leia também o post da Vic Sanborn (Jane Austen’s World) sobre a páscoa.
 

No post de 2009, eu também fiz uma relação dos livros de Austen que citam a páscoa. Vale à pena relembrar:
 
Razão e Sensibilidade, na ocasião em que “… os Palmer iriam voltar para Cleveland em fins de março, antes dos feriados da Páscoa…” (Razão e Sensibilidade, capítulo III).
Emma: “-Não sei, querida… mas é que faz tanto tempo que não vieram! A última vez foi por Páscoa, e só por muito poucos dias… que o senhor John Knightley seja advogado é um grande inconveniente… Pobre Isabella! Que triste é que tenha que estar separada de todos nós! E que pena terá quando vier e não encontre aqui à senhorita Taylor!” (Emma, capítulo IX).
Orgulho e Preconceito: “Deste modo tranquilo passaram os primeiros quinze dias da sua visita. Aproximava-se a Páscoa e a semana que a precedia traria uma pessoa a Rosings; e, numa família tão pequena, tal acréscimo não deixava de ser importante” (Orgulho e Preconceito, capítulo XXX).
Mansfield Park: “Setecentas libras por ano é uma bela renda para um irmão mais moço; e como ele continuará a viver na casa dos pais, tal renda se destinará por completo para seus “menus plaisirs”; e um sermão no Natal e um na Páscoa, creio eu, será toda a soma de seus sacrifícios” (Mansfield Park, capítulo XXIII).
Nota: Mansfield Park é o livro que mais cita a páscoa!
Texto escrito com a colaboração de Lília dos Anjos.
*****
Acima de todas as coisas, acredito que este é o momento ideal para reflexões, orações e mudanças! Um bom renovo na vida de todos vocês! Boa páscoa!