Orgulho e Preconceito da Editora Pé da Letra

A Editora Pé da Letra lançou uma edição adaptada de ‘Orgulho e Preconceito’. Vejam como é linda esta capa!! Atualização: esta edição é uma adaptação da obra original. O livro é uma tradução do original de Austen.

pedaletra.jpg

Enquanto a minha edição não chega, eu publico as imagens gentilmente cedidas pela Fabiana do Blog PSAmo Leitura.

Detalhes técnicos:

Direção de arte: Robério Gonçalves

Tradução: Georgina Vicente

Adaptação e revisão: Suely Paiva

As ilustrações desta edição (exceto a da capa e da página 6) são do desenhista irlandês Hugh Thomson (1860 – 1920)

É possível encomendar o livro na Pé da Letra ou comprar na Estante Virtual.

Lançamento: Box Jane Austen da Landmark

Oi, aqui é a Priscila Murlik!
Alguns de vocês já devem ter visto o box lindo que a Editora Landmark lançou com todas as obras que já traduziu da Jane Austen! 

ISBN: 8580700027
ISBN-13: 9788580700022
Idioma: Livro em português/inglês
Encadernação: Brochura
Dimensão: 23 x 16 cm
Ano de Lançamento: 2011
Onde comprar: Livraria Cultura 
Obras que estão no box:
Mansfield Park
Emma
Orgulho e Preconceito
A abadia de Northanger
Persuasão
Razão e Sensibilidade


Lindo,não? *-* Eu já vi na livraria Cultura e achei super hiper LINDO! Infelizmente, eu já tenho – da landmark – 3 dos 6 livros que estão no box, então fica complicado. rsrs
E vocês? Já viram ele na Cultura? O que acharam? 

Novas traduções em Português

Quando eu gravei o programa para a Globo News, tive a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a Celina Portocarrero! Foi uma ótima oportunidade para saber um pouco mais sobre Celina, que já traduziu mais de 40 livros e atualmente está aprendendo Russo! Congratulations dear!
Celina disse-me que está traduzindo Persuasão para a Editora L&PM. Ótima notícia, não é mesmo? Tentei buscar informações no site da editora, mas ainda não há uma capa. Como é de se esperar, a qualidade e bom preço da editora devem continuar nesta edição!
***
Outra novidade, descoberta hoje é que a Martin Claret acaba de lançar Persuasão, traduzido por Roberto Leal Ferreira, que também traduziu Razão e Sensibilidade para a mesma editora. Preço: R$ 12,90.
Abaixo as novas capas da Martin Claret:
***
A Editora Landmark está com a edição bilíngue de Emma prevista para o segundo semestre de 2010. Ainda não há uma capa no site da editora. O preço de lançamento deve ficar em torno de R$ 40,00 já que é uma edição dois em um = bilíngue.
***
Como este post trata-se apenas de divulgação e não da minha opinião pessoal sobre os livros, escrevo de forma genérica: parece-me que as editoras descobriram o filão que é publicar Jane Austen e estão todas correndo atrás de novos leitores. Parece também que existe uma espécie de competição para ver quem publica primeiro os seis livros de Austen em português! Só espero que, nós leitores, tenhamos boas surpresas. Acho que é um apelo de todos nós: qualidade e bom preço!

Mansfield Park – análise dos personagens

Hoje apresento uma pequena introdução que fiz para a edição de Mansfield Park, versão bilingue, publicada pela Editora Landmark. Para ler o texto, é só clicar no arquivo abaixo e ampliar a tela se necessário.
O texto é curtinho, mas faço algumas considerações sobre Edmund Bertram e Fanny Price (personagens principais). Espero que gostem!

Meu livro chegou!

Pessoal, é com enorme alegria que faço aqui a publicação das primeiras fotos com meu livro!

Trabalho concluído, agora posso voltar ao meu hobby: ponto cruz!
Minha edição de Mansfield Park foi comentada/citada em alguns sites e blogs:

Mansfield Park nas livrarias

Pessoal, já se encontra nas livrarias o livro Mansfield Park! Uma grata surpresa justo no dia do tradutor! Na livraria saraiva já está à venda há uns quinze dias, na livraria da travessa devem publicar ainda hoje.
Para os amigos e leitores que quiserem o livro com uma dedicatória minha é só enviar um email para adriana@jasbra.com.br para saber maiores detalhes sobre o depósito e o envio do livro.
Obrigada à todos pelo carinho e felicitações! Dedico essa vitória aos meus pais, pela humildade e educação que recebi!

Novas Versões em Português

Agora há pouco tive uma surpresa agradável ao receber a notícia de minha amiga Lilia dos Anjos de que a Editora Landmark está a todo vapor para publicar os outros livros de Jane Austen em português do Brasil. E pensar que tudo isso começou porque comentei com Lilia sobre uma edição de um livros das irmãs Bronte da editora Wordsworth e ela acabou encontrando uma edição bilíngue da editora Landmark.
Agradeço muito pela dica Lilia! De modo que este post é mais teu do que meu!!
Voltando ao que realmente interessa! As novas edições!

Recentemente a Editora Landmark publicou edições bilíngues de Orgulho e Preconceito e Persuasão.


FUTUROS LANÇAMENTOS
Na página da editora já estão disponíveis as capas e resumos dos novos livros traduzidos. No entanto, não há indicação de quem fez a tradução nem cita quando será o lançamento.

A Abadia de Northanger

Resumo da Editora Landmark:

“A ABADIA DE NORTHANGER” acompanha a trajetória de Catherine Morland, sua família e amigos, quando de sua visita ao balneário de Bath, na Inglaterra, local sempre freqüentado por Austen e sua própria família. Em sua estadia, Catherine passa seus dias visitando seus mais novos amigos e freqüentando bailes na cidade e acaba por se envolver com dois jovens da cidade, John Thorpe e Henry Tillney que a envolve com seu conhecimento de literatura e história. O pai de Henry, general Tillney, a convida para visitar uma de suas propriedades, a Abadia de Northanger. Catherine que na história está lendo o romance gótico, “Os Mistérios de Udolpho”, de Ann Radcliffe, fica fascinada com a perspectiva de ingressar em um ambiente antigo, fantástico e sombrio. A Abadia de Northanger representa toda a capacidade de Jane Austen em se fazer a critica social de seu tempo, bem como a de realizar a análise moral de seus personagens. Com o seu costumeiro e agradável senso de humor, a autora critica os romances góticos e seus excessos que tangenciam o ridículo, e introduz sua história em um cenário cotidiano e plausível.

O Parque de Mansfield

Resumo da Editora Landmark:

Por mais de dois séculos o livro tem dividido os leitores: por um lado, “O PARQUE DE MANSFIELD” é o trabalho mais autobiográfico de Austen, refletindo o mundo de pretendentes religiosos e proprietários de terra, das caçadoras de maridos, dos esnobes e dos tolos do interior – no qual a escritora viveu e procurou o amor – o texto parece entrar em choque com a costumeira descrição das heroínas criadas por Austen, uma vez que a personagem de Fanny Price, que no romance é surpreendentemente contida e passiva, tem aturdido por décadas os críticos literários e os fãs de Austen. As questões sociais também são amplamente discutidas em “O PARQUE DE MANSFIELD”: sugere-se pela crítica especializada que o título se refere ao julgamento de Mansfield, a decisão inglesa legal e histórica tomada pelo chefe da Justiça Lorde Mansfield, segundo a qual foram estabelecidos os primeiros limites quando à escravidão na Inglaterra. No romance, Fanny surpreende sua família adotiva, os Bertrams, ao levantar a questão sobre o envolvimento deles com a escravidão. As cartas de Jane Austen escritas na época nos informam de que ela tinha se apaixonado por Thomas Clarkson, o abolicionista mais popular da época, o que justificaria o envolvimento da autora com estas questões sociais. Austen, como os seus personagens, cresceu em uma zona rural na Inglaterra entre a classe abastada e religiosos cujos hábitos e negócios ela observava com perfeição e, às vezes, com uma honestidade brutal e reveladora. A sua memorável linguagem, a sua sagacidade satírica, o seu delicado senso de humor e as suas complexas caracterizações de luta moral no coração das famílias, além das alianças românticas, contribuem para o estilo de Austen, que não envelhece, e o resistente microcosmo da natureza humana que ela aborda. O tema que mais prevalece na obra de Austen permanece relevante na nossa época: a necessidade de homens e mulheres de encontrarem a sua identidade e de fazerem as suas próprias escolhas – ainda que a sociedade, por sua natureza, tente fazer deles seres dependentes, sem força e preconceituosos.

***

Nota: Só não agradei do título acima ser: O parque de Mansfield!! 🙂

Como Mansfield park é uma designação para toda a propriedade dos Bertram, acho que não foi apropriado chamar de parque (pois em inglês o significado destes nomes de propriedades é diferente). Dá a impressão que o livro fala de um belo parque.