Homenagem ao Legado de Jane Austen

A Jane Austen Sociedade do Brasil, em parceria com a Academia Mineira de Letras @amletras – tem o prazer de oferecer uma Homenagem ao Legado de Jane Austen! Evento gratuito e sem necessidade de inscrição! Será no dia 18 (data da morte da escritora) de julho às 19:30 na sede da Academia Mineira de Letras, localizada à Rua da Bahia, 1466, Belo Horizonte – MG. Serão emitidos certificados digitais aos participantes. Evento realizado com o apoio do grupo de pesquisas @mulheres_edicao e @anadigital do Posling do @cefetmg #janeaustenbrasil #poslingcefetmg #mulheresnaedição #janeaustensociedadedobrasil #legadodejaneausten #janeaustensocietyofbrazil #amletras #agendaamletras

Segundas – Vida social em Orgulho e Preconceito

 Hoje é dia da Coluna das segundas-feiras: Discussões sobre Orgulho e PreconceitoA sugestão da discussão é da Flávia Oliveira (JASBRA-MG):

Trecho da discussão 
“A mais moça ainda não fez dezesseis anos. Talvez seja um pouco cedo demais para fazer a vida social. Mas realmente minha senhora, acho que seria uma crueldade recusar-lhes a sua parte de distrações e sociedade só porque a mais velha não teve os meios ou a inclinação para se casar mais cedo. As mais moças têm os mesmos direitos aos prazeres da mocidade que as mais velhas. E trancá-las em casa creio que não seria um bom meio de promover a afeição fraternal ou a delicadeza de sentimentos.”



Essa atitude não parecia avançada demais para a época?  
Seria essa liberdade a maior responsável pelos erros de Lydia?

Conheça aqui as outras perguntas da nossa discussão sobre Orgulho e Preconceito

Segundas – Condições financeiras em Orgulho e Preconceito

Hoje é dia da Coluna das segundas-feiras: Discussões sobre Orgulho e PreconceitoA sugestão da discussão é da Flávia Oliveira (JASBRA-MG):

Trecho da discussão 

“No entanto, ela lhes enviava tudo o que podia economizar das suas despesas particulares. Sempre lhe parecera evidente que a renda que eles tinham, dirigida por pessoas tão extravagantes nos seus desejos e tão descuidadas do futuro seria insuficiente para o seu sustento.”



Lizzie  e Jane mandavam dinheiro para a irmã, se fosse o contrário, Lydia seria tão bondosa assim? 
Mas é possível irmãs em boas condições não ajudarem outras menos favorecidas? 
Mr. Gardiner não ajudou a irmã?

Conheça aqui as outras perguntas da nossa discussão sobre Orgulho e Preconceito

Segundas – Elizabeth Bennet em questão

Hoje é dia de lhes apresentar a Coluna das segundas-feiras: Discussões sobre Orgulho e PreconceitoA sugestão da discussão é da Flávia Oliveira (JASBRA-MG):


“Eu poderia ter sido a dona desse lugar”, pensou ela.
Estes quartos eu os conheceria intimamente. E, em vez de vê-las como uma estranha,eu poderia alegrar-me de possuí-los e receber aqui,como visitantes,meu tio e minha tia.”

Vocês irão jogar pedra em mim,mas isso me parece muito pior do que a mãe. Lizzie viu todo aquela mansão maravilhosa e confessou seu completo arrependimento. Interesseira ou vocês irão  me dizer que foi sensatez?

Conheça aqui as outras perguntas da nossa discussão sobre Orgulho e Preconceito

Segundas – Sexismo?

 Hoje é dia de lhes apresentar a Coluna das segundas-feiras: Discussões sobre Orgulho e PreconceitoA sugestão da discussão é da Flávia Oliveira (JASBRA-MG):

Depois das declarações apaixonadas feitas pelo casal Lizzy e Darcy eis que me pergunto…
“-É uma pena que encontre para tudo uma resposta razoável e que eu tenha o bom senso de aceita-la. –reclamando do silêncio de Darcy quando as visitou com o Mr. Bingley.”
E agora respondam: Essa condição de obediência e concordância, seria  um comentário machista ou apenas uma brincadeira de enamorados?


Conheça aqui as outras perguntas da nossa discussão sobre Orgulho e Preconceito

Segundas – Mrs. Gardiner em questão

Mais uma contribuição da Flávia Oliveira (JASBRA-MG)!

Mrs. and Mr. Gardiner (Orgulho e Preconceito 2005) 
Sem dúvida muitas de  vocês já conhecem ou ouviram dizer da minha defesa em relação a  Mrs. Bennet, e muitas discordam de mim, por ela ser assim…digamos, indiscreta.
 Mas analisem comigo essa frase em relação a Wickham, da Mrs. Gardiner – tia amada e venerada, e considerada modelo de mulher pela Lizzy .
“-Você é uma moça sensata demais, Lizzy,para se apaixonar por um rapaz apenas porque alguém a previne que não o faça. […] Não se comprometa nem procure comprometê-lo numa afeição que a ausência de fortuna tornaria muito imprudente. Não tenho nada contra o rapaz. É dos mais interessantes. E, se tivesse a situação que deveria ter, acho que você não poderia encontrar melhor.”
Agora respondam, sinceramente, as duas cunhadas não tinham mesmo algo em comum?

Conheça aqui as outras perguntas da nossa discussão sobre Orgulho e Preconceito. 

Segundas – A hora e a vez de Mr. Collins!

A sugestão da discussão é da Flávia Oliveira (JASBRA-MG):

Vamos estudar um pouco essa fala do Mrs. Collins, o tão amado personagem de minha amiga Olga Ferreira. O que essas palavras dizem da personalidade do personagem?


“Sou muito sensível às dificuldades das minhas primas, minha cara senhora, e muito poderia dizer sobre o assunto, se não temesse ser precipitado. Mas posso assegurar às jovens que vim disposto a admirá-las. No momento, não direi mais nada; talvez quando nos conhecermos melhor…Vamos estudar um pouco essa fala do Mrs. Collins, o tão amado personagem de minha amiga Olga. O que essas palavras dizem da personalidade do personagem?
-Sou muito sensível às dificuldades das minhas primas, minha cara senhora, e muito poderia dizer sobre o assunto, se não temesse ser precipitado. Mas posso assegurar às jovens que vim disposto a admirá-las. No momento, não direi mais nada; talvez quando nos conhecermos melhor…”

Conheça aqui as outras perguntas da nossa discussão sobre Orgulho e Preconceito. 

Coluna – Debates sobre Orgulho e Preconceito

Prezados leitores, hoje é dia de lhes apresentar a Coluna das segundas-feiras: Discussões sobre Orgulho e Preconceito

A ideia dessa coluna é da Flávia Oliveira (JASBRA-MG) e a proposta é a seguinte:

“Ainda em comemoração ao Bicentenário de Orgulho e Preconceito, iniciaremos uma série de estudos da obra mais famosa de Jane Austen.Semanalmente discutiremos trechos diferentes e contamos com a opinião de vocês, no intuito de nos atentarmos para variadas formas de interpretação e opiniões pessoais.” 

A proposta desta semana é discussão a postura de Darcy no trecho abaixo: 

“-Por coisa alguma deste mundo; bem sabe como detesto dançar, a não ser conhecendo intimamente o meu par. Numa festa como esta seria insuportável. Suas irmãs estão ocupadas e não existe outra mulher na sala com quem eu dançaria sem sacrifício.” Mr. Darcy com o amigo  Mr. Bingley.

Pergunta: Como julgaríamos palavras assim em nosso dia-a-dia? Falta de educação, imponência, arrogância, medo, timidez… Quais os motivos de Mr. Darcy?