Jane Austen Brasil – 6 anos! Sorteio! – Parte 2

Continuando com os sorteios pelo aniversário do blog, e também dentro das comemorações do Bicentenário de Mansfield Park, hoje temos um kit de ecobag e marcadores da nova loja da Dani, a Mad Monalisa.

Para quem não conhece a Dani, ela é uma estudante de artes, especialista em ilustrações tradicionais e colaboradora do Coruja em Teto de Zinco Quente. Em 2011 ela começou a fazer uma série de desenhos inspirados na obra de Austen – primeiro para o encontro de Razão e Sensibilidade realizado no Recife em 2011 e depois expandindo o repertório para os outros livros da autora.
Para participar do sorteio deixe seu nome e email para contato.
Participações até 30 de junho de 2014.

Anúncios

Resultado do sorteio duplo Mansfield Park

Prezados leitores, só estou publicando hoje o resultado do sorteio porque o nosso amiguinho Fitz esteve no hospital duas vezes desde o final de semana. Felizmente ele está bem agora, mas ficou com febre por dois dias…
Para alegrar nossa terça-feira, o resultado do sorteio duplo de Mansfield Park que esteve no ar até 08 de junho e contou com  139 participantes! 
Parabéns Madalena e Marcela!!

Encontro Mineiro – JASBRA-MG

Para dar início ao nosso planejamento do Encontro Nacional no 2o semestre deste ano, nós aqui da JASBRA-MG iremos realizar um encontro no próximo dia 07 às 14:30 na livraria Mineiriana. Na ocasião teremos o prazer de discutir algumas questões do livro Mansfield Park e também planejarmos o Encontro Nacional.

Sejam todos bem vindos!

Encontrados fragmentos escondidos de Jane Austen que podem estar ligados à Mansfield Park

De acordo com informações da BBC News. Assista ao vídeo abaixo:




Segundo o site Literatortura:

Conservadores do Museu da Jane Austen, em Chawton, na Inglaterra, encontraram um trecho inédito supostamente escrito pelo punho da autora. Nunca antes descoberto, o manuscrito passou 150 anos preso a uma carta para Jane Austen de seu sobrinho, o reverendo James Austen-Leigh, dentro de uma primeira edição das memórias da escritora.



Um grupo de pesquisadores da West Dean College, conseguindo desgrudar o fragmento, decifrou as seguintes palavras: “…grande propriedade preservada – onde quer que seja… queria ser  absolvido do Supersticioso… do Papismo… onde quer que novos estivessem para ser… compostos a fim de preencher e conectar os Serviços… com um espírito verdadeiro.”.
Já na frente do texto, um sermão de Austen-Leigh, lia-se: “Os homens podem cairem um hábito de repetir as palavras de nossas Orações de cor, talvez sem entendê-las completamente – com certeza sem sentir completamente sua força e significado integrais.”.
Apesar de confusos, para especialistas, os fragmentos ecoariam uma passagem do capítulo 34 de “Mansfield Park”na qual as personagens de Henry Crawford, Fanny Price e Edmund Bertram discutem o sermão deste último, e talvez até elucidem a indagação de Crawford: “Muitas vezes fico pensando como a oração deve ser lida, e desejando poder lê-la eu mesmo.”.Levanta-se também a hipótese de que a própria Jane, além de influenciado as ideias da família, tenha escrito os sermões do sobrinho, que, tsc, tsc, escreveu: “Essa é a escrita, mas não as palavras, da autora Jane Austen, minha tia” – nem me fale da violação de propriedade intelectual.
Pertençam a quem pertençam, as palavras serão expostas ainda este ano na Casa-Museu Jane Austen, última morada da famosa escritora.
Veja uma publicação da BBC aqui.

Sorteio Bicentenário de Mansfield Park!

Prezados leitores, em 2012 tive o prazer de trabalhar com a Editora Martin Claret e ajudar a escolher cores de capas e escrever todos os resumos das contracapas, além, é claro, de traduzir Emma.
Para comemorar o Bicentenário de Mansifeld Park e em parceria com a editora Martin Claret, começam hoje e vai até o dia 08 de junho as participações para o sorteio de 2 livros Mansfield Park, tradução de Alda Porto. 
Até o FITZwilliam Darcy, vulgo Fitz, quis participar do convite para o sorteio! 
Meninos são muito bem vindos, apesar do convite sedutor do gato Fitz! 🙂 
Para participar vocês deverão deixar nome e email de contato! Não será permitida a participação duplicada.
O resultado do sorteio será publicado aqqui no blog da JASBRA no dia 09 de junho! Fiquem atentos! Os vencedores terão 05 dias para enviar os dados de correspondência! 

Vejam os detalhes dessa coleção da Martin Claret: cores vibrantes, capítulos com o 1o parágrafo com a letra de Jane Austen e as flores das capas são todas em dourado!

Jane na Copa? Faça parte do Team Austen!

Sim, prezados leitores! Jane Austen, mocinha faceira que é, resolveu dar um pontapé inicial e nos prestigiar com uma aparição em pleno Estádio do Mineirão (Belo Horizonte)! 
Para celebrar esse momento festivo que é a Copa do Mundo, a JASBRA resolveu vender (por tempo MUITO limitado) camisetas em homenagem à Copa do Mundo 2014. As vendas ocorrerão entre os dias 27 de maio a 02 de junho, e somente serão encaminhadas pelos correios após confirmação de pagamento. Fiquem atentos! 

Vejam como está linda a illustração do meu aluno Tiago Calado!

Camiseta pronta! 

Medidas das camisetas:

Malha PV (poliester viscose):

Modelo Baby Look
Tamanho GG – 88 cm (busto)

Modelo Padrão
Tamanho P – 94 cm (busto)
Tamanho M – 106 cm (busto)
Tamanho G – 112 cm (busto)

Como funcionarão as vendas:

Sistema de pré-venda, ou seja, você tem que garantir sua reserva e pagamento até o dia 02 de junho para que receba sua camiseta! Clique aqui e preencha seu formulário.

Edmund Bertram e Fanny Price – Bicentenário de Mansfield Park

O que vocês acham dos personagens principais 
de Mansfield Park?
Leia abaixo um breve estudo que realizei em 2010 na ocasião do lançamento da minha tradução Mansfield Park – Editora Landmark.

Bicentenário de Mansfield Park!

Neste mês de maio, Mansfield Park comemora 200 anos! Mesmo um pouco atrasada começarei uma série de posts em comemoração ao livro!

Nós da JASBRA faríamos um Encontro Nacional aqui em Belo Horizonte agora em maio, porém, por causa da Copa e diversos impedimentos, decidimos realizar o encontro no segundo semestre. Data e local a serem confirmados! Aguardem!

Gazeta de Longbourn Apresenta: Mansfield Park

Deixe que outras penas se ocupem com culpa e miséria.

Esse ano comemoramos o bicentenário de publicação de mais uma obra da tia Jane e claro que eu não poderia deixar de falar sobre o assunto. Mansfield Park não é meu livro favorito dos romances de Austen, mas depois de muitas leituras e releituras e debates, acho que hoje consigo entender melhor e gostar mais de Fanny Price.

Mansfield Park é talvez o mais próximo de um conto de fadas que Austen chegou: Fanny Price é acolhida pelos tios ricos, ainda criança, para tirar um pouco do peso dos pais pobres. Levada para a majestosa Mansfield, é criada lado a lado com os primos, embora sempre lembrada de que não faz parte originalmente daquele mundo.

Há uma tia fazendo as vezes de madrasta má, duas primas para serem as meio-irmãs da Cinderela e até um príncipe encantado (que pode ou não vir acompanhado do cavalo branco). As semelhanças, contudo, terminam por aí.

Fanny não é exatamente uma princesa levada pelas correntes, completamente desarmada e pronta para ser levada no cavalo branco. Ela tem uma saúde delicada e é um tanto indefesa frente a Mrs. Norris (que é sem dúvida a mais detestável de todas as personagens criadas pelo gênio austeniano) – mas ainda assim, Fanny não é boba, nem se deixa convencer daquilo que acredita não ser certo. Ela é constante, nunca desvia de seus princípios, não importa o tipo de pressão que receba. Em termos de caráter, comparado com todos os outros personagens da história, ela é certamente admirável.

Mas essa força é também sua principal fraqueza – ao menos a meu ver. Tenho às vezes a impressão de que Austen a fez perfeita demais e que no alto de sua fortitude moral, Fanny está sempre julgando e desdenhando as escolhas dos outros. Para ser bastante sincera, só consigo simpatizar com Fanny a partir do momento em que a vemos ao lado do irmão, William, porque só então ela parece descer de seu pedestal de retitude.

Demorei um tanto mais a gostar de Edmund, que faz as vezes de mocinho. Há dois motivos para isso: primeiro, Edmund, como primo de Fanny e tendo crescido ao lado dela, enxerga-a inicialmente como uma irmã e sua mudança de sentimentos me soa um tanto brusca; segundo porque em comparação com o arrojado e charmoso Henry Crawford, Edmund não é exatamente material para príncipe encantado.

Mas aí está a grande sacada de Austen, que é a forma como ela brinca com as nossas expectativas. Mansfield Park tem toda a estrutura do conto de fadas, mas a resolução da história está longe de seguir o padrão. Fanny escolhe não o final de princesa ambiguamente ‘felizes para sempre’ (e príncipes de contos de fadas me dão arrepios de desgosto e desconfiança), mas sim a vida real, o companheirismo, o conforto daquilo que já lhe é familiar.

Partindo dessa premissa, na minha quarta ou quinta releitura do livro (perdi a conta a essas alturas), sou capaz de simpatizar bem mais com Fanny do que quando tive meu primeiro contato com ela. Ainda não é meu título favorito dos romances de Austen, mas aprendi a gostar dele.

Bicentenário de Mansfield Park

Prezados leitores,
 
é com satisfação que aviso a todos interessados que já estamos organizando o V Encontro Nacional da JASBRA na cidade de Belo Horizonte. A data e o local onde o evento será realizado será divulgado posteriormente pois ainda estamos aguardando a confirmação da instituição parceira. Até o final do mês poderemos dar uma posição concreta. Obrigada pela compreensão!
 
Este ano celebraremos o Bicentenário de Mansfield Park e certamente teremos brilhantes oportunidades de discutir esse livro tão complexo! 🙂