As três peças de Jane Austen

Apesar do pai de Jane ter sido um pastor, isso não impediu que seus filhos pudessem conhecer as peças teatrais da época. Jane chegou a escrever três textos que podem ser chamadas de peças teatrais. Os irmãos de Austen talvez tenham começado a gostar de teatro quando viveram em Oxford, resultando numa série de atuações domésticas no período de 1782 a 1790. De acordo com Claire Tomalin, as peças fizeram parte da educação de Jane e Cassandra. Além disso, a leitura de peças era algo absolutamente normal na casa de Jane, tornando-se um dos passatempos prediletos da família: ler em voz alta e até mesmo improvisar um pequeno teatro em casa. A verdade é que desde a infância, Jane lia peças, analisava os personagens e certamente os reproduzia em suas primeiras experiências como escritora.

Os escritos da juvenília de Austen incluem três paródias escritas em forma de pequenas peças: ‘The Visit’, ‘The Mystery’ e ‘The First Act of a Comedy’ (textos ainda sem tradução para o português). Encontrei as três peças no livro Catherine and other writings abaixo:


‘The Visit’ (uma comédia em dois atos), assim como as outras duas, foi escrita nos moldes de uma peça, com indicações e instruções para os movimentos dos atores. A mini-peça foi dedicada ao Reverendo James Austen (irmão da escritora) e consiste apenas de quatro páginas. Os personagens são: Sir Arthur Hampton, Lady Hampton, Lord Fitzgerald, Miss Fitzgerald, Stanly, Sophy Hampton, Willoughby (sobrinho de Sir Arthur) e Cloe Willoughby.

‘The Mystery’ (uma comédia inacabada), possui apenas duas páginas e foi dedicada ao pai de Austen, o Reverendo George Austen. Os personagens são: Coronel Elliott, Fanny Elliott, Sir Edward Spangle, Mrs. Humbug, o velho Humbug, o jovem Humbug, Daphne e Corydon.

Em ‘The First Act of a Comedy’ Jane faz uma paródia de uma burletta (opereta cômica). Os personagens são: Popgun, Maria, Charles, Pistoletta, Postilion, Hostess (anfitriã), coro de Ploughboys e Strephon, Cook and Chloe.
Em outros textos de Austen é possível ver a influência do teatro em sua vida. Em Mansfield Park, por exemplo, Jane cita diversas peças ao longo do livro e, de fato, assistiu algumas dessas peças.

Uma boa dica para conhecer mais sobre a relação de Austen com o teatro, indico o livro: Jane Austen and the Theatre.

Advertisements

13 thoughts on “As três peças de Jane Austen

  1. karlinha 03/08/2009 / 7:48 PM

    ´Poxa, adriana como sempre nos supreendendo!
    Adorei, mais sim..o fato do pai de Jane Austen, ser pastor não impedia…dela fazer muitas coisas, não.

    Gostar

  2. Vivi 04/08/2009 / 11:42 AM

    Taí, a importância de uma educação cultural sólida. De fato, contribui para o desenvolvimento da competência criativa de Janet.

    Beijos

    Gostar

  3. Adriana Zardini 04/08/2009 / 12:14 PM

    Vivi, é verdade! A educação que Jane recebeu em casa foi a base para o desenvolvimento de sua criatividade.

    Gostar

  4. Stephen Fry Brasil 04/08/2009 / 1:18 PM

    Esse tipo de educação é cada vez mais raro no mundo atual. Com televisão, internet e a falta de tempo, dificilmente alguém se interessa em “brincar de teatro”. Infelizmente, hoje em dia temos muito mais informação do que educação. Parabéns pelo post e pelo novo visual do blog.

    Beijos.

    Gostar

  5. Elaine 04/08/2009 / 7:59 PM

    O sobrinho da Jane, que escreveu suas memórias, fala que era bem comum ela e seus irmãos transformarem a sala de estar em palco para apresentar as peças de teatro que eles escreviam para a família. Inclusive, diz que uma prima deles, que viveu na França por muito tempo e foi acolhida pela família quando veio fugida da Revolução Francesa, virou a estrela principal da “companhia teatral”. Mas ele diz que a incursão de Jane como escritora de peças de teatro foi curta: durou até seus 15 anos.

    Gostar

  6. Adriana Zardini 04/08/2009 / 8:05 PM

    Elaine, você está correta! Os quinze anos de Jane coincidem quase que exatamente com o período que eles deixaram de encenar as peças (1790).

    A prima que viveu na França é a Eliza de Feuilide (1761 – 1813), que posteriormente se casou com Henry, irmão de Jane.

    Gostar

  7. Adriana Zardini 04/08/2009 / 8:05 PM

    Elaine, você está correta! Os quinze anos de Jane coincidem quase que exatamente com o período que eles deixaram de encenar as peças (1790).

    A prima que viveu na França é a Eliza de Feuilide (1761 – 1813), que posteriormente se casou com Henry, irmão de Jane.

    Gostar

  8. Dri Viaro 06/08/2009 / 10:54 AM

    Oi, vim conhecer seu blog, e desejar um bom dia
    bjsss

    aguardo sua visita 🙂

    Gostar

  9. Éverton Vidal 06/08/2009 / 6:49 PM

    Adriana,

    Oi, encontrei o link do seu blogue na comunidade “Perguntas sobre Anglicanismo”. Gostei do layout, dos textos, enfim. Vou acompanhá-la.

    Um forte abraço.
    Inté.

    Gostar

  10. Éverton Vidal 06/08/2009 / 6:56 PM

    E eu nao sabia que jane Austen era anglicana. Sabia de Lewis Carroll, que foi pastor (diácono) anglicano. Interessante.

    Bj.

    Gostar

  11. Carolina 12/08/2009 / 10:01 AM

    Ao qu parece, alguns nomes já giravam na cabeça de Jane bem antes de seus estrondosos sucessos. Willoughby, Charles, Edward, Fanny…
    Legal saber sobre estas peças, das quais nunca tinha ouvido falar.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s