Lady Susan (1871)

Esta edição da Editora Dover, teve sua primeira publicação em 2005, teve como emabasamento o trabalho publicado por J. E. Austen Leigh (sobrinho de Austen) “Em Memória de Jane Austen” (1871). Lady Susan foi escrito aproximadamente em 1805, mas foi publicado pela primeira vez em 1871.

Os comentários a seguir encontram-se na contra capa do livro ao lado, publicação da Editora Dover, traduzido pela autora deste blog: Bonita, coquete, e viúva há pouco tempo, Lady Susan Vernon busca um novo e vantajoso matrimônio para si, e ao mesmo tempo tenta empurrar sua filha para um casamento sendo que ela detesta este homem. Ela enche sua agenda de compromissos com convites para visitas estendidas com os parentes e conhecidos por uma série de manobras astuciosas, de modo a alcançar de seu plano principal. Conforme o enredo se desdobra, os personagens são revelado e a expectativa se constrói – tudo por cartas trocadas entre Lady Susan, sua família, amigos, e inimigos. Descrito por seus rivais como a “uma grande coquete da Inglaterra”, amplamente dotada de uma cativante “decepção”, Susan prova ser uma figura notável, destituída de qualquer qualidade redentora cujas intrigas e maquinações a conduzem em última instância a resultados desastrosos. Lady Susan é um magnífico romance (freqüentemente provocativo) sobre os costumes and modos da época da Regência na Inglaterra, que se tornou um dos favoritos entre os leitores de Jane Austen. Os entusiastas de Austen e estudantes de literatura inglesa se encantarão em sua graça e expressão elegante.

ATENÇÃO
Esta obra de Jane Austen é de domínio público e encontra-se disponível para download:

Versão em Inglês

Versão em áudio

Anúncios

4 thoughts on “Lady Susan (1871)

  1. Paula Calixto 28/03/2008 / 2:53 PM

    Parabéns pela sua iniciativa transmutada em prazer-ação! O blog ficou lindo e captou a alma.A minha mãe tem todos os livros de Jane Austen. Foi uma de suas autoras prediletas na juventude, o que me fez, por incentivo-obrigatório [risos] dela lê-los.Até agora, o filme que, na minha humilde percepção, captou mais a magnitude da obra foi a última versão de “Orgulho e Preconceito”. Mas gostei muito de “Razão e Sensibilidade” e “Emma”. Falta assistir aos outros.Beijos.

    Gostar

  2. Viviane Carvalho 16/06/2008 / 11:09 AM

    Oi! Nossa parece ate acaso do destino rs… eu numa segunda-feira… aflita e com um projeto de pesquisa nas maõs… e de repente encontro o seu blog no google. Podemos conversar? Sou Estudante de Letras/Ingles de Teresina – PI. E louca pela Jane… elaborando uma pesquisa sobre cinema e literatura em cima de sense and sensibility. Meu msn é vivianepsc@hotmail.com poderia me adicionar? Um abraço!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s