Jane Austen em tom bem afiado

Gabriela Zimmermann do Jornal A Notícia de Joinville publicou ontem uma crítica sobre o livro Jane Austen a Vampira de Michael Thomas Ford.

“LIVRO DE MICHAEL THOMAS FORD TRANSFORMA ESCRITORA INGLESA EM UM PANO DE FUNDO MODERNOUma Jane Austen ácida, crítica com sua própria obra e cheia de personalidade. Assim, o escritor norte-americano Michael Thomas Ford pinta a escritora de clássicos como “Razão e Sensibilidade” e “Orgulho e Preconceito”. O livro “Jane Austen – a Vampira” pode ser considerado leitura de tarde de férias: tranquila e despretenciosa.
Ford transforma Jane em vampira somente como um pretexto para trazê-la ao mundo contemporâneo e consegue, com isso, puxar para os tempos de hoje a escritora inglesa, que agora tem 233 anos e vive nos Estados Unidos. O livro começa mostrando o lado sarcástico de Jane que, dona de um livraria em uma pacata cidade ao norte de Nova York, precisa vender e acompanhar leituras de seus antigos sucessos – os quais ela já não aguenta mais.
O problema é que ela não entende porque tanta gente ainda relê seus livros. E mais: como podem até se fantasiar de senhor Darcy, o mocinho de “Orgulho e Preconceito”, por exemplo.
Ford aproveita para usar trechos reais de cartas de Austen à irmã Cassandra, o que o ajuda a construir essa Jane de mais de dois séculos de vida. Talvez pelas centenas de anos, a protagonista agora esteja mais crítica ainda e um pouco impaciente com o mundo. A nova Jane tem problemas para lançar seu mais recente romance e se vê às voltas com o orçamento apertado, já que não tem como receber direitos autorais de seus livros pois está morta para o mundo.
O mote ajuda a reforçar a acidez e a falta de paciência da personagem, que vai ter de lidar também com um romance do passado, um admirador que trabalha perto e uma paixão pelo seu novo agente literário. As palavras que mais definem o livro são diversão e leveza. Aproveitando a história o sucesso dos vampiros, Ford compõe um cenário inusitado, mas totalmente possível: Austen achando graça e ficando impaciente com o mundo moderno.
Além de Jane Austen, o autor aproveita para falar sobre as novas gerações de autores célebres como Lord Byron (que, acreditem, foi o responsável por transformar Jane em vampira e segue os séculos apaixonado por ela) e das irmãs Brontë (que, em determinado momento, Jane é acusada de copiar). Sem dúvida um livro que aproveita o modismo e recicla autores de maneira divertida e bem provável. Para quem gosta de “embalagens”, o livro tem, ainda, uma capa bem montada e design condizente com a história, em uma edição criativa.
O autor é especialista em comédia e histórias macabras, escreveu diversos livros juvenis e adultos nos Estados Unidos e essa é sua estreia no mercado brasileiro. Ford ganhou o prêmio de Melhor Livro de Humor e tornou-se integrante da Horror Writers Association, após ter sido premiado com o Bram Stoker Award.”
Anúncios

One thought on “Jane Austen em tom bem afiado

  1. Natallie 20/08/2010 / 5:09 PM

    Qual é o problema desse pessoal viver transformando Austen e seus personagens em vampiros? Já perdeu a graça. Espero que essa onda passe quando a mania Crepúsculo evaporar!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s