A carta que salvou a vida da escritora Jane Austen em 1783

A obra “Orgulho e Preconceito” é uma das mais notáveis na produção literária de Austen.

Em 1783, Jane Austen tinha 7 anos de idade e foi enviada para Oxford junto com a irmã, Cassandra, para a casa de uma de suas primas, Jane Cooper. Lá, as irmãs teriam aulas com uma tutora chamada Ann Cawley, que mais tarde se mudaria para Southampton, no sul da Inglaterra, levando as crianças consigo.

Em Southampton, Jane e Cassandra ficaram gravemente doentes com o que era conhecido na época como “dor de garganta pútrida”, que poderia ser o que hoje conhecemos como difteria ou tifo. Jane estava tão doente que quase morreu, mas sua tutora, Cawley, por alguma razão inexplicável, não alertou os pais da jovem.

A escritora Helen Amy explica que a prima das garotas, Jane Cooper, decidiu escrever à tia, contando que a vida da pequena Jane Austen estava em perigo, o que fez com que as senhoras Austen e Cooper viajassem a Southampton para resgatar as crianças e tratá-las. As irmãs Austen se recuperaram sob o cuidado da mãe em casa, e as três garotas jamais retornaram à tutela da senhora Cawley. “Se sua prima não tivesse intervindo a tempo, Jane Austen teria morrido e o mundo teria perdido seu talento extraordinário”, explica Amy.

Texto originalmente publicado no site BBC em português.